Poesias, Varginha-Terra do ET, BRICS, Dicas, Frases e Reflexões...

PÁGINA 12 - BRICS-Uma Nova Ordem Mundial

Você está na página 12 do Blog do Profex:


TERRA À VISTA!!!


Uma nova Ordem Mundial está se aproximando: BRICS !
O mundo onde viverão nossos netos!... ou Another brick for the world
http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/89/o-mundo-e-os-brics-7495.html
“A civilização é um movimento, e não uma condição. Uma viagem, e não o porto de destino.” A frase, do historiador inglês Arnold J. Toynbee, define como poucas o curso da história. Raramente percebemos a história, enquanto ela ainda está acontecendo, a cada segundo, à nossa volta. O mundo se transforma, profundamente, o tempo todo. Mas as maiores mudanças são as imperceptíveis. Aquelas que quase nunca aparecem na primeira página dos jornais, normalmente tomada por manchetes que interessam a seus donos, ou por chamadas de polícia ou futebol. Esse é o caso das notícias sobre os Brics.
Quem já ouviu Pink Floyd (Another Brick in the Wall) pode confundir o termo com brick, palavra inglesa que quer dizer tijolo. Se gostar de economia, vai lembrar que essa é uma sigla inventada em 2001 por um economista do grupo Goldman Sachs.
Mas poucas pessoas têm ideia de como o Bric vai mudar o mundo e sua própria vida nos próximos anos. Antes um termo econômico, o Brics, grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, está caminhando – aceleradamente, em termos históricos – para se transformar na aliança estratégica de alcance global que vai mudar a história no século 21.
(Continua)

Veja os links:

Comece pela Wikipedia:
http://pt.wikipedia.org/wiki/BRICS

Brasil e China aumentam parcerias:
http://www.ebc.com.br/noticias/brasil/2013/11/brasil-e-china-intensificam-parceria-com-visita-de-michel-temer
Dilma reforça o time:
http://www.jornalgrandebahia.com.br/2013/07/embaixador-figueiredo-machado-e-nomeado-pela-presidenta-dilma-rousseff-para-onu.html

O Estadão mantém uma seção permanente, de olho na movimentação do BRICS:
http://topicos.estadao.com.br/brics

Prioridades do BRICS - já preocupam alguns colunistas...

ÚLTIMAS notícias:


Fonte da Imagem: www.conversaafiada
A última dos americanos: Temer e Serra tentam desmontar o BRICS. Temer é o agente infiltrado que os americanos mandaram?

CHINA ACUSA GOVERNO TEMER DE BOICOTAR BRICS

Os verdadeiros objetivos do Golpe de Estado ficam cada vez mais óbvios. Não foi um golpe contra Dilma, Lula e o PT. O Golpe foi contra o Brasil e também contra a possibilidade da instalação de nova ordem econômica e política mundial cada vez mais próxima com o fortalecimento dos BRICS. (Comentário do Blogueiro)

:

Texto publicado pela agência de notícias estatal Xinhua, diretamente subordinada ao governo chinês, afirma que “o presidente interino, Michel Temer, se aproveitou para alterar a estratégia diplomática do país e deixar de priorizar as relações com os Brics”; a análise, assinada por editores no Brasil e em Pequim, traz a opinião de um especialista, de que “Temer tentará fortalecer a relação com os Estados Unidos e Europa a fim de que eles reconheçam a legitimidade do governo interino, e, para tanto, será forçado a manter distância dos membros do Brics para evitar desagradar Washington”; o texto lembra ainda que, em um de seus primeiros discursos, o chanceler interino, José Serra, disse que a “nova política externa” do Brasil visava América Latina, Estados Unidos e União Europeia; no caso dos Brics, disse apenas que “o Brasil irá se esforçar para aproveitar as ‘oportunidades’ que o bloco oferece, mas sempre tendo o comércio e os investimentos mútuos”
Do Brasil 247 – Um texto publicado pela agência de notícias estatal chinesa Xinhua nesta terça-feira 14 mostra a preocupação do governo chinês com a mudança na política externa do Brasil após o presidente interino Michel Temer e o chanceler interino José Serra terem assumido seus cargos. A análise aponta um sinal de boicote do Brasil ao Brics – bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.
“O presidente interino, Michel Temer, se aproveitou para alterar a estratégia diplomática do país e deixar de priorizar as relações com os Brics”, diz trecho do artigo, assinado por editores da Xinhua no Rio de Janeiro e em Pequim. O destaque da nota da Xinhua foi feito no Blog do Vicente, do jornal Correio Braziliense.
O texto também lembra que, em um de seus primeiros discursos, José Serra disse que a “nova política externa” do Brasil visava América Latina, Estados Unidos e União Europeia. No caso dos Brics, disse apenas que “o Brasil irá se esforçar para aproveitar as ‘oportunidades’ que o bloco oferece, mas sempre tendo o comércio e os investimentos mútuos”.
A análise traz ainda a opinião do especialista Zhou Zhiwei, diretor executivo do Centro de Estudos Brasileiros do Instituto de América Latina da Academia de Ciências Sociais da China. “Temer tentará fortalecer a relação com os Estados Unidos e Europa a fim de que eles reconheçam a legitimidade do governo interino, e, para tanto, será forçado a manter distância dos membros do Brics para evitar desagradar Washington”, diz ele.
Fonte da Imagem: www.conversaafiada.com.br
http://www.conversaafiada.com.br/economia/brics-lideram-o-crescimento-do-pib-mundial
Especialistas destacaram ainda influência da crise no Brasil sobre a Argentina
A crise que enfrentam as grandes economias emergentes – Brasil, Rússia, China e África do Sul – com exceção da Índia, lançou uma sombra de dúvida sobre o futuro destes países que, no entanto, continuarão sendo os principais contribuintes para o crescimento do PIB mundial. É a conclusão dos especialistas convocados para fórum O Desafio dos Emergentes, organizado pelo jornal EL PAÍS nesta sexta-feira em Madri, do qual participaram também Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente do Brasil, e o ex-primeiro-ministro espanhol Felipe González.

“Se falamos de crescimento do PIB, ele virá dos países emergentes, que continuarão contribuindo com mais do que o dobro que os países desenvolvidos”, disse Núria Más, professora de economia da IE Business School. A especialista insistiu na necessidade de diferenciar entre uma conjuntura negativa, como a atual, e o potencial de crescimento dessas economias, que permanece intacto, embora terão que enfrentar importantes processos de reforma.

O diretor do EL PAÍS, Antonio Caño, disse que os emergentes “são e continuarão a ser uma referência para a estabilidade mundial” e uma “referência da nova ordem, até mesmo política”, como demonstram as mudanças profundas que estas economias viveram nos últimos anos, com um papel crescente em fóruns econômicos e políticos globais.

Ao contrário de outras épocas, como reconhece o professor de Economia Empresarial da Universidade Autônoma de Madri, Emilio Ontiveros, o impacto da crise emergente hoje é muito significativo “por seu importante peso na economia mundial”. Na verdade, 30% das vendas das multinacionais em todo o mundo procedem de empresas de países emergentes. Mais significativo ainda para a economia espanhola. “Boa parte das empresas centrais para o estabelecimento dos indicadores domésticos e da Bolsa na Espanha têm interesses importantes na América Latina”.

Ontiveros também chamou a atenção para a estreita ligação entre as economias do Brasil e da Argentina, cuja previsão é de passar por uma desvalorização da sua moeda, o que pode aumentar as tensões financeiras na região. “Se o Brasil não se recuperar, vai ser muito difícil para a Argentina superar a crise”, disse ele.

Para o diretor corporativo de Assuntos Estratégicos da Corporação Andina de Fomento, Germán Ríos, o importante para o futuro dos emergentes é eliminar a persistente brecha em infraestruturas e valorizou positivamente a criação do Banco Asiático de Investimento em Infraestruturas liderado pela China. “Os organismos financeiros que a China colocou em funcionamento vão mudar as regras do jogo do sistema financeiro global. Vão permitir que os emergentes contornem a crise com suas próprias regras e financiamento próprio”, disse ele.


(...)


AMERICANOS QUEREM ISOLAR O BRICS  -  TARDE DEMAIS!!!
http://tijolaco.com.br/blog/?p=27273

O WikiLeaks libera hoje (3/6) 17 documentos secretos da TISA (Acordo  de Comércio de Serviços),  em curso nas negociações que cobrem os Estados Unidos, a União Europeia e 23 outros países, incluindo a Turquia, México, Canadá, Austrália, Paquistão, Taiwan e Israel – que juntos compõem dois terços do PIB mundial. O setor de Serviços agora é responsável ​​por quase 80 por cento das economias dos EUA e da UE e até mesmo em países em desenvolvimento como o Paquistão tem neles 53 por cento da sua economia. Enquanto a proposta de Parceria Transpacífico (TPP) tornou-se conhecido nos últimos meses nos Estados Unidos, a TISA  é ignorado embora seja o componente maior do estratégico TPP-TISA-TTIP (o Tratado da “Trindade T”, de Trade, comércio)”. Todas as partes da trindade  Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul,os BRICS “. Leia mais:
http://tijolaco.com.br/blog/?p=27273

EUA em guerra diplomática contra o BRICS
http://outraspalavras.net/destaques/tisa-o-acordo-global-de-comercio-contra-os-brics/
Wikileaks denuncia tratado americano:  Trade in Services Agreement (TiSA)
"Wikileaks revela: EUA, União Europeia e bancos querem tratado que impediria sociedades de tomar decisões contrárias às grandes empresas. Colômbia e México estão envolvidos
Por Carlos Henrique Bayo*, no Publico
O Wikileaks vazou o conteúdo das negociações clandestinas de meia centena de governos que buscam estabelecer um acordo mundial secreto de comércio internacional de serviços, que passará por cima de todas as regulações e normativas estatais e parlamentares, em benefício de grandes empresas.
O sigiloso tratado de Tratado Transatlântico de Comércio e Investimentos (TTIP), entre os Estados Unidos e a União Europeia parecia imbatível, uma espécie de Cavalo de Troia das multinacionais, mas a verdade é que serve apenas de cortina de fumaça para ocultar a verdadeira aliança neoliberal planetária: o Acordo de Comércio em Servios — Trade in Services Agreement (TiSA) –,  compromisso ainda mais antidemocrático de intercâmbio de serviços entre cinquenta países, que não só está sendo negociado sob o mais absoluto segredo mas, além disso,  deverá continuar escondido da opinião pública durante mais cinco anos, quando já tiver entrado em vigor e condicionará 68,2% do comércio mundial de serviços.
O nível de confidencialidade com que se escrevem os artigos e anexos do TiSA – que cobrem todos os campos, desde telecomunicações e comércio eletrônico até serviços financeiros, seguros e transportes – é muito superior, também ao do Acordo de Parceria Transpacífica (Trans-Pacific Partnership Agreement, TPP) entre Washington e seus sócios asiáticos, que prevê quatro anos de vigência na clandestinidade. Entretanto, a reportagem de Público.es teve acesso – graças a sua colaboração com Wikileaks – aos documentos originais reservados da negociação em curso. Eles deixam claro que se está construindo um complexo emaranhado de normas e regras desenhadas para driblar as regulações estatais e burlar os controles parlamentários sobre o mercado global."
#ACELERANDOoBRICS

Banco Central bloqueia participação do Brasil no Banco dos BRICS

http://cartamaior.com.br/?%2FEditoria%2FEconomia%2FBanco-Central-bloqueia-participacao-do-Brasil-no-Banco-dos-BRICS%2F7%2F33393


Existe uma vertente dentro do Banco central contra o BRICS. Cuidado, @dilmabr!

"Em mais uma ação de cabal subordinação à finança anglo-americana, o Banco Central do Brasil está dificultando, com evidente intenção de sabotar a capitalização da parte brasileira no Banco dos BRICS sob o pretexto imbecil de proteger as reservas internacionais. O Banco dos BRICS é, de longe, o principal legado do primeiro mandato de Dilma no plano internacional. Deverá ser o grande instrumento de financiamento da infraestrutura no bloco, independente da interferência, das taxas de juros e das condicionalidades norte-americanas e europeias.

O argumento da vertente entreguista do Banco Central é grotesco, já que a transferência de recursos das reservas para a capitalização do banco não altera a posição fiscal brasileira. Afinal, é muito mais interessante ter dinheiro rendendo juros no banco do que rendendo os pífios juros dos títulos públicos dos Estados Unidos, nos quais as reservas são aplicadas. No Banco dos BRICS o dinheiro vai gerar investimentos reais, e não apenas um fluxograma de recursos totalmente desvinculado da economia real.

Já é tempo de nacionalizarmos o Banco Central do Brasil. É curioso que ele tenha sido criado pelos militares, num primeiro momento sem oposição americana, como um banco desenvolvimentista, grande financiador da agricultura brasileira. Foi nossa titubeante democracia, no Governo Sarney, e pelas mãos de economistas ditos progressistas, que o Banco Central virou-se para o lado da ortodoxia anglo-americana, tornando-se, pela política monetária, um dos principais obstáculos ao nosso desenvolvimento econômico.

Outra curiosidade é que não foram os americanos, mas os ingleses e franceses, que espalharam pelo mundo a concepção de bancos centrais ortodoxos. Descrevi isso na minha tese de doutorado na Coppe, convertida em livro, “Moeda, Soberania e Trabalho”, ed. Europa. A total conversão à ortodoxia se deu via influência posterior dos Estados Unidos no FMI, revelando outra tremenda contradição: os americanos exigem que todo mundo tenha banco central ortodoxo, mas eles próprios tem um banco desenvolvimentista, organizado de forma tão cínica que é capaz de despejar moeda fiduciária no mundo sem qualquer tipo de controle."
O BRASIL ACERTA EM CHEIO COM O BRICS!

http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Economia/China-Banco-do-BRICS-e-a-infraestrutura-brasileira/7/33197

O Brasil acerta. Os emergentes precisam se estruturar para participarem do mercado cada vez mais competitivo. Ao participar do Banco dos Brics, o Brasil se contrapõe à força neoliberal do FMI, tendo a possibilidade de investir mais em infraestrutura. 

No passado, o governo utilizava prioritariamente recursos do Banco Mundial para investimentos em infraestrutura de transportes. Com o advento do Novo Banco do BRICS, abre-se uma possibilidade que poderá ser mais adequada para as atuais e futuras necessidades de investimento em infraestrutura logística, com peso menos significativo para o tesouro.

Finalmente, no âmbito da Petrobras, além dos empréstimos, a China poderá auxiliar na aceleração da produção de navios-sonda, em seus estaleiros.

Como se vê, são muitas as possibilidades decorrentes desse alinhamento do Brasil com os grandes economias de países emergentes.
Yuan será nova Moeda Mundial antes do esperado
http://cartamaior.com.br/?%2FEditoria%2FEconomia%2FO-desafio-da-China-diante-do-FMI-incorporar-o-yuan-ao-sistema-SDR%2F7%2F33172

Apesar da oposição dos Estados Unidos, a ascensão global do yuan se tornou inevitável. Agora, o governo chinês, nas próximas reuniões do FMI, buscará a inclusão do yuan no sistema de Direitos Especiais de Saque (SDR), um passo decisivo para convertê­-lo em moeda de reserva mundial.

A China está pronta para avançar com a ideia de fazer o yuan ser um rival do dólar e colocar em xeque sua dominação no Sistema Monetário Internacional. Em 2009, Zhou Xiaochuan, o governador do Banco Popular de China, fez um apelo para que se reformasse o sistema mundial de reservas, pois as violentas flutuações do dólar exigiam da economia mundial um maior esforço para garantir mais estabilidade e confiança. Em definitivo, a China se opôs a ter que arcar com os custos da crise que havia se iniciado na Bolsa de Nova York.

Sob essa mesma perspectiva, a agência de notícias Xinhua lançou um polêmico editorial, em outubro de 2013, sobre a desamericanização do mundo: o endividamento irresponsável por parte do governo de Barack Obama aumentava os ‘desequilíbrios estruturais’ e com isso, revelava a urgente necessidade de diminuir o poder e a influência dos Estados Unidos[1]. Agora, em março de 2015, Li Keqiang, primeiro-ministro da China, solicitou diante do Fundo Monetário Internacional (FMI), discutir a incorporação do yuan ao sistema de Direitos Especiais de Saque (ou SDR, em sua sigla em inglês, em referência a Special Drawing Rights).

Os SDR são ativos de reserva internacional, criados pelo FMI, em 1969, para complementar as reservas dos bancos centrais e apoiar o sistema de paridade fixa estabelecido em 1944. No começo, os SDR se definiram a partir de um valor equivalente a 0.888 gramas de ouro. Contudo, uma vez que Richard Nixon, quando era presidente dos Estados Unidos, colocou fim aos acordos de Bretton Woods, em 1971, os SDR se definiram com base numa espécie de cesta básica de moedas.

Na prática, os países ­membros do FMI compram moedas do sistema SDR para cumprir com suas obrigações. Em outros casos, os vendem para ajustar a composição de suas reservas internacionais. Nesse contexto, o FMI atua na qualidade de intermediário entre seus membros e os detentores autorizados de moedas do SDR, para garantir os câmbios em moedas de ‘uso livre’.

#China surpreende: Seu novo banco faz sucesso!

E preocupa os EUA.

Também pudera! Que imagem a China passa? Desenvolvimento e expansionismo. E os EUA: guerra e expansionismo. Qual é a escolha?

A raiva em Washington só deve ter aumentado quando seus principais aliados do Pacífico, Japão, Austrália e Coreia do Sul, também deram fortes indícios de que embarcariam na locomotiva. Até o final de março, espera-se que mais de 35 países tenham aderido ao Banco Asiático de Infraestrutura e Investimento (Asian Infrastructure Investment Bank – AIIB) na condição de membros fundadores.

A China se comprometeu com o aporte de 50 bilhões de dólares dos 100 bilhões de dólares da meta de capitalização inicial do Banco.
 http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Economia/Washington-mostra-preocupacao-com-Pequim/7/33178

Washington teme que o novo banco rivalize com o Banco Mundial e o Banco Asiático de Desenvolvimento como fontes de financiamento do desenvolvimento na região. As preocupações de Washington são pertinentes. Apesar dos esforços do presidente do Banco Mundial Jim Yong Kim para mudar a imagem do Banco, a percepção geral que se tem da instituição é que esta cumpre as prioridades de Washington. Já o Banco Asiático de Desenvolvimento (Asian Development Bank – ADB), controlado pelo Japão, é visto como submisso ao Banco Mundial, da mesma forma que, em linhas gerais, Tóquio segue os passos de Washington na política externa.

O significado do banco asiático

http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Economia/O-significado-do-banco-asiatico/7/33325

"Nos últimos anos, começou-se a reconstruir, com os recursos modernos, a nova rota da seda. As ferrovias serão um elemento importante, que têm a vantagem de ser - diferente do comércio marítimo - propriedade de cada país ou grupo de países, e não de estrangeiros. Mas, por exemplo, a China precisa frear o crescimento de suas vias sempre que se aproxima de qualquer fronteira com outra nação. Um problema importante causado, entre outras coisas, pela diferença de tamanho das ferrovias de um país e outro. Atualmente, existe na Ásia seis diferentes larguras usadas como modelos para proporção das linas férreas segundo relatório das Nações Unidas a respeito, publicado em 2014. Um problema que pode e deve ser resolvido.

Os trens são muito mais rápidos e baratos que o comércio marítimo. Podem substituir os barcos, e ser um elemento a mais num cenário onde o colonialismo foi praticamente liquidado. Não só traria benefícios econômicos, mas também aumentaria os níveis de independência dos países asiáticos, especialmente a China.

As ferrovias, como a geração de eletricidade e o recém criado banco asiático, são parte do cenário de desenvolvimento que se desenha, segundo as já citados estudos e suas previsões para 2020, 2030 e 2050."

#CHINA BUSCA MAIS APROXIMAÇÃO AINDA COM O BRASIL
http://brasil.elpais.com/brasil/2015/03/31/internacional/1427811430_566174.html
A China deu, nesta terça-feira, mais um passo para materializar seuBanco Asiático de Investimento em Infraestrutura (AIIB, pela sigla em inglês), a primeira instituição financeira multilateral que não será dominada pelos Estados Unidos ou algum de seus aliados. Também na terça finalizou o prazo dado pela China e mais de 45 países solicitaram ser membros fundadores da instituição, apesar do rechaço explícito dos EUA. Entre as últimas economias que apresentaram sua candidatura estiveram a Suécia, Espanha, Taiwan — que não possui laços formais com a China continental — e Noruega, apesar das más relações com Pequim depois da concessão do prêmio Nobel a Liu Xiaobo. O Brasil também será membro fundador da instituição, conforme informou o Palácio do Planalto, em uma nota oficial divulgada no último dia 27 de março, na qual diz que o Governo brasileiro "tem todo o interesse de participar desta iniciativa".

BRASIL é convidado a participar do #AIIB
http://www.conversaafiada.com.br/economia/2015/03/28/brasil-e-socio-de-banco-chines-que-peita-os-eua/
Conversa Afiada reproduz nota oficial da Presidenta Dilma:

BRASIL SERÁ MEMBRO-FUNDADOR DO BANCO ASIÁTICO DE INVESTIMENTO EM INFRAESTRUTURA


O governo brasileiro aceitou o convite da República Popular da China para participar como membro-fundador do Asian Infrastructure Investiment Bank (AIIB).

A presidenta Dilma Rousseff anunciou, nesta sexta-feira, 27, que o Brasil tem todo o interesse de participar desta iniciativa, que tem como objetivo garantir financiamento para projetos de infraestrutura na região da Ásia.


Sobre o AIIB:

http://en.wikipedia.org/wiki/Asian_Infrastructure_Investment_Bank

Sobre o principal projeto do AIIB: construir uma nova Rota da Seda, por terra, para sair do Leste da China e chegar ao coração da Europa, via Rússia, Turquia, até Rotterdam, na Holanda, nas barbas dos americanos:

http://www.xinhuanet.com/english/special/silkroad/

Sobre a reação americana – a ficha caiu quando a Alemanha (protetorado americano) e a Inglaterra (agencia bancaria dos Estados Unidos) aderiram ao AIIB:

http://www.nytimes.com/2015/03/20/world/asia/hostility-from-us-as-china-lures-allies-to-new-bank.html

#BRICS: A Voz do Mundo em Desenvolvimento
http://nacoesunidas.org/brics-podem-ser-a-voz-do-mundo-em-desenvolvimento-afirma-subdiretor-geral-da-unesco-em-brasilia/
O subdiretor-geral, acompanhado pelo representante da UNESCO no Brasil, Lucien Muñoz, reuniu-se com vice-ministros de Educação dos cinco países, no segundo dia do II Encontro de Ministros da Educação do BRICS e da UNESCO, em Brasília. “Para a UNESCO, os países BRICS são uma influência global crescente. Não só na economia, mas em todas as frentes. O grupo BRICS pode ser a voz do mundo em desenvolvimento”, afirmou Tang.
O Encontro durou dois dias. No primeiro (02), restrito aos países do bloco, os ministros de Educação assinaram a Carta de Brasília, com recomendações e conclusões. O segundo, organizado pela UNESCO, foi discutido o funcionamento da cooperação.
A chamada agenda pós-2015 está em negociação, com o objetivo de dar continuidade ao esforço internacional em torno dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs) e das metas de Educação para Todos, cujos prazos terminam em 2015. Uma das propostas prevê a universalização do ensino fundamental e médio até 2030, o que divide opiniões, por ser algo considerado ainda demasiadamente ambicioso em diversos países.
A agenda pós-2015 estará no centro dos debates do Fórum Mundial de Educação 2015, que será organizado pela UNESCO, em maio, em Incheon, na Coreia do Sul. “Vai ser o mais importante evento da educação nas próximas duas ou três décadas”, disse Tang.
#Dilma defende maior cooperação entre o grupo do Brics para superar crise

O encontro entre os chefes de Estado dos cinco países que compõem o Brics aconteceu pouco antes do início da 9ª Cúpula do G20, grupo que reúne as maiores economias do mundo e a União Europeia, que  acontece em Brisbane, Austrália.
http://observatoriodainternet.blogspot.com.br/2014/11/dilma-defende-maior-cooperacao-entre-o.html

O #BRICS está preparado para as sacudidas externas
Encontro na Austrália em Novembro de 2014

http://actualidad.rt.com/economia/view/147221-brics-preparado-sacudidas-externas-eeuu-complot

Xô Abutres! - Sobre um Encontro Histórico!

Nos últimos 200 anos, talvez este seja o encontro mais importante. Trata-se não só de um grito de Independência, mas da confirmação de que é possível criar-se uma Nova Ordem Mundial, costurando-se com responsabilidade e coragem as alianças certas, na hora certa. Num momento em que os fundos especulativos colocam a Argentina na parede. Argentina que quer pagar e credores que querem prendê-la numa teia de dívidas que se tornaria impagável. E outros países emergentes em igual situação. Os fundos de ajuda humanitária perderam sua razão de ser e só pensam em especular, especular...
Celso Furtado e Raúl Prebisch devem estar aplaudindo de algum lugar...

http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Internacional/Xo-abutres-Sobre-um-encontro-historico/6/31400

“Entre os países Brics, em particular com a China e a América Latina, há hoje um relacionamento muito forte do ponto de vista econômico, (…) o comércio da China é o primeiro comércio de uma boa parte dos países latino-americanos e caribenhos. Mas não se resume somente às relações comerciais, há também relações econômicas no sentido mais amplo e financeiras na medida em que há muitos financiamentos chineses aqui na região”, declarou o assessor especial."

As ferrovias vêm aí!

"(...)Um interesse imenso numa ligação ferroviária entre o Atlântico e o Pacífico, a chamada Transoceânica Brasil-Peru e daí para frente (inaudível) para a China. Essa ferrovia tem um trecho chamado Trecho 4. Sai ali de Campinorte, que, como vocês lembram, está na Norte-Sul, e vai até Lucas do Rio Verde. É um trecho da ferrovia que compõe uma futura transoceânica, então, o interesse deles nessa área e na área de escoamento ferroviário de grãos e de minério.

Além disso, merece destaque o fato de que a China tem 100 mil km de ferrovias e 11 mil de trens de alta velocidade, de ferrovias de alta velocidade, e também o interesse chinês, levantado pelo presidente Xi, no sentido de um investimento em trens de alta velocidade. Estou destacando esses dois pela importância que eles têm em qualquer país do porte do Brasil.

Essa transoceânica, que nos interessa porque ligaria o Atlântico ao Pacífico – nós somos os grandes interessados, nós somos, afinal, a maior economia desta região –, ela teria de ser uma parceira, pelo menos da forma como eles estão propondo, porque aqui no Brasil nós temos de ver como é que vai ser a forma, e isso é uma hipótese, seria necessariamente articulação entre interesses brasileiros com peruanos e, portanto, também com os chineses, de alguma forma."
http://www.conversaafiada.com.br/economia/2014/07/21/ferrovias-aqui-a-china-pode-investir/?utm_source=Twitter&utm_medium=Atualizacao&utm_campaign=CAf
Veja também:
http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2014/07/17/acordos-brasil-china-e-a-copa-das-copas/

#Stiglitz aposta no Banco dos #BRICS



Para Nobel de Economia, iniciativa aproveita brecha importante e desafia esforço dos EUA para manterem, mesmo em decadência, controle da ordem econômica global
"Qual a importância de países como a China, que tem enormes reservas monetárias, e o Brasil, que criou seu próprio banco de desenvolvimento há um bom tempo, serem peças-chave na nova organização financeira?

É muito grande, e vale lembrar alguns pontos interessantes. A China tem reservas internacionais no valor de 3 trilhões de dólares. Para os chineses, uma das questões centrais é como usar estes fundos melhor do que apenas transformando-os em títulos do Tesouro norte-americano. Meus colegas na China dizem que isto é como colocar a carne na geladeira e desligar a eletricidade – porque o valor real do dinheiro convertido em títulos do Tesouro dos EUA está declinando. Eles dizem, “Precisamos fazer melhor uso desses recursos”, certamente melhor do que aplicá-los na construção de, digamos, casas de má qualidade em meio ao deserto de Nevada. Você sabe, há necessidades sociais reais, e aqueles fundos não têm sido usados com esses propósitos.

Ao mesmo tempo, o Brasil tem o BNDES – um enorme banco de desenvolvimento, maior que o Banco Mundial. As pessoas não se dão conta disso, mas o Brasil demonstrou na prática como um país pode, sozinho, criar um banco de desenvolvimento muito efetivo. Há um aprendizado sendo feito. E essa noção de como se cria um banco de desenvolvimento efetivo, que promova desenvolvimento real, sem todas as condicionalidades e armadilhas que permeiam as velhas instituições, será uma parte importante da contribuição do Brasil."http://www.cartacapital.com.br/blogs/outras-palavras/stiglitz-aposta-no-banco-dos-brics-2303.html
Os #BRICS e o FMI do B
Hoje, 25 anos depois da queda do Leste Europeu, os EUA e a UE, já não podem se declarar senhores únicos do destino da humanidade, os BRICS se constituem com polo ativo de contradição ao pensamento único, mesmo que dentro da lógica do Kapital, não é a política preferencial dele, torna a luta de classes mais dinâmica, cria ambiente de atuação de classes, acelera contradições, internas e externas, libera forças, amplia horizontes. Uma parte significativa do mundo deixa de ser refém do receituário do FMI, o que não é pouca coisa, é a Economia Política girando e acentuando as contradições, a história voltando ao prumo.
http://arnobiorocha.com.br/2014/07/16/os-brics-e-o-fmi-do-b/

Castro critica a forma como a Imprensa tem feito a Cobertura dos Eventos do BRICS.
Castro continua antenado e sabe o que a Imprensa fez em relação à Cobertura do BRICS. A menor e mais equivocada possível. Bom sinal!

"Os grandes eventos da história não se forjam em um dia. Enormes provas e desafios de crescente complexidade se vislumbram no horizonte. Entre China e Venezuela foram assinados 38 acordos de cooperação. É hora de conhecer um pouco mais as realidades", escreveu.

No dia 11, Castro conversou durante uma hora sobre temas de política e economia com Putin, durante a visita de um dia que o presidente russo realizou a Cuba antes de assistir ao fórum Brics, integrado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, as grandes economias emergentes do mundo."
Veja mais:
http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/37131/fidel+afirma+que+china+e+russia+liderarao+%E2%80%9Cnovo+mundo%E2%80%9D+e+critica+cobertura+dos+brics.shtml

Foco estratégico de governos do PT estaria nos países do Brics

O BRICS foi um risco calculado. E veio em boa hora. A imprensa brasileira obedece ordens e não quis falar sobre o BRICS antes da Copa, mesmo sabendo que as reuniões viriam. Preferiu tentar um golpe midiático do "#NãoVaiTerCopa", que acabou não dando resultado. E a reunião de Fortaleza aconteceu. O NBD foi criado e o segundo mandato de Dilma vai ter uma nova cara.

"O jornal Página/12-BuenosAyres disse ainda que a conferência de Fortaleza, que teria sido prolongada na quarta-feira em Brasília com a adição dos líderes da União de Nações Sul-Americanas (Unasur) e da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), teve o protagonismo de Dilma, que surgiria como favorita à reeleição em outubro, com 36% das intenções de votos, na frente do principal adversário, Aécio Neves, que concentra 20% das intenções.
O jornal argentino classificou a reunião ainda como um “triunfo da diplomacia brasileira”, mas principalmente para Dilma, que de acordo com o jornal conseguiu realizar vários encontros bilaterais prestes a encarar uma forte disputa eleitoral e deixou uma prévia do que será seu possível segundo mandato."
http://www.jb.com.br/pais/noticias/2014/07/21/pagina-12-foco-estrategico-de-governos-do-pt-estaria-nos-paises-do-brics/

A Importância das Reuniões dos BRICS

Serão muitos os pontos de vistas e interesses diante de algo tão novo no mercado: um Banco Mundial. Por isso a importância de mais reuniões conjntas para que se reduzam as arestas e o objetivo seja ainda cada vez mais definidos. Nos contratos dos empréstimos dos BRICS muitas vertentes estarão em jogo. É bom lembrar que os EUA, Europa e seus aliados ainda não enguliram de vez a idéia. Da mesma forma, o banco representa uma tábua de salvação diante da pressão que o mercado financeiro e suas regras lhes impõe. Para ilustrar, uma matéria do periódico Carta Capital.
http://www.cartacapital.com.br/economia/a-importancia-das-reunioes-dos-brics-3392.html
Dilma fala sobre a Criação do BRICS
À imprensa vira-lata do Brasil ela teve que 'desenhar' o que é a forma rotativa que o BRICS adotou, onde países não têm privilégios como nos demais bancos mundiais...


#BRICS avançam na America Latina por intermédio de Dilma
Dilma aproxima BRICS de líderes latino-americanos. Cinco presidentes que formam a sigla se encontram, em Brasília, com 11 presidentes da América Latina que fazem parte da Unasul
Os BRICS estão avançando em direção à América Latina. É o que fica claro nesta quarta-feira 16, quando os presidentes dos cinco países que formam a sigla se encontram, em Brasília, com 11 presidentes latino-americanos que fazem parte da Unasul. Após anunciarem, em Fortaleza, na véspera, a criação do Novo Banco de Desenvolvimento, com capital de US$ 50 bilhões para financiar projetos de infraestrutura em países emergentes, os líderes de Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul foram apresentar os planos para a instituição aos colegas do continente.
Historicamente área de influência dos Estados Unidos, a América Latina experimenta um vácuo de ações de peso da diplomacia americana durante a gestão do presidente Barack Obama. Nesse espaço vazio, os BRICS, agora com um poderoso instrumento financeiro sendo formado, agem para estabelecer novas bases de apoio político.

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/07/brics-avancam-na-america-latina-por-intermedio-de-dilma.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+PragmatismoPolitico+%28Pragmatismo+Pol%C3%ADtico%29
Brasil não cedeu porque não é dono
"Dilma, de forma didática, explica numa coletiva nesta quarta-feira (16), no Palácio do Alvorada,  o que foi o acordo para criar os BRICs.
Explica o sistema de alternância, a igualdade de condições – os cinco países têm o mesmo peso acionário – e como vai funcionar o Banco: será gerido por um Conselho de Administração que o Brasil vai presidir.
E terá dois escritórios – o central, em Xangai, na China, e na África do Sul.
Breve, terá um na América Latina, com escritório no Brasil.
Ouça o áudio e veja que ela se diverte com o “não vai ter Copa”, e descreve o momento histórico em que Lula e ela avisaram ao FMI que iam pagar o que deviam – e o diretor do FMI, um sr. Rato, espanhol que presidiu um banco que quebrou, pediu para o Brasil não pagar …"
(E lembrar que o Príncipe da Privataria quebrou o Brasil três vezes e três vezes foi de pires na mão ao FMI …)
http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2014/07/16/dilma-brasil-nao-cedeu-porque-nao-e-dono/

#BRICS fundam NBD
"Pelo arranjo, o Brasil poderá indicar o presidente do conselho de administração do banco. O país pleiteava a presidência do banco, mas acabou cedendo para a Índia.
A Rússia poderá nomear o presidente do conselho de governadores, e a África do Sul sediará um Centro Regional Africano da instituição.
O capital inicial do banco será de US$ 50 bilhões, dividido igualmente entre os membros do Brics.
Em discurso na cúpula, a presidente Dilma Rousseff disse que o banco “representa uma alternativa para as necessidades de financiamento de infraestrutura nos países em desenvolvimento, compreendendo e compensando a insuficiência de crédito das principais instituições financeiras internacionais”.
Na reunião, além da abertura do banco, os líderes acertaram a criação de um fundo para socorrer membros dos Brics que passem por riscos de calote.
O fundo, batizado de Arranjo de Contingente de Reservas (ACR), será composto por US$ 100 bilhões: US$ 41 bilhões virão da China; Brasil, Rússia e Índia, entrarão com U$ 18 bilhões cada; e África do Sul, com US$ 5 bilhões."

http://blogpalavrasdiversas.wordpress.com/2014/07/15/banco-do-brics-fundos-abutres-e-a-governanca-multipolar-em-construcao/
S
Sede do NDB será em Xangai e o primeiro gestor será a India
"Após muita negociação, a presidente Dilma Rousseff anunciou que será mesmo em Xangai, na China, a sede do New Development Bank (NDB), nome oficial escolhido para o “banco dos Brics”. A primeira presidência da instituição, que terá capital inicial autorizado de US$ 50 bilhões, será exercida pela Índia.
Em seu discurso na VI Cúpula dos Brics, que ocorre em Fortaleza, Dilma afirmou que os chefes de Estados de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul discutiram a multiplicação dos conflitos pelo mundo. Foi tratada, inclusive, da questão da Ucrânia, tema sensível ao presidente russo, Vladimir Putin.
“Lamentamos a falta de avanços concretos nessas questões”, disse Dilma, referindo-se a conflitos na Palestina, em Israel, na Síria, no Iraque e na Ucrânia.
De acordo com a presidente, os membros dos Brics entendem que deve haver reformas urgentes em mecanismos internacionais, citando como exemplo o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Conselho de Segurança  da ONU.
Dilma reafirmou a necessidade de que essas reformas reflitam melhor o peso dos países dos Brics no contexto econômico mundial. “Os Brics são essenciais para a prosperidade do planeta”, disse a presidente, que informou ainda que o bloco vai intensificar a cooperação na área de segurança, citando como exemplo o narcotráfico e o terrorismo."
http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/sede-do-banco-dos-brics-sera-em-xangai-e-primeira-presidencia-sera-da-india/#comments
Banco vai controlar a volatilidade das Economias
A presidente Dilma Rousseff afirmou que o Arranjo Contingente de Reservas (CRA) ajudará a controlar o processo de volatilidade das economias mundiais em um momento em que os Estados Unidos começam a retirar os estímulos às indústrias. O CRA é um espécie de fundo virtual anticrise em criação pelos Brics.
"O CRA, que tem um montante de US$ 100 bilhões de dólares, vai contribuir para que esse processo de volatilidade enfrentado por diversas economias quando da saída dos Estados Unidos da política de expansão monetária seja mais contido, mais administrado. E dá segurança, dá uma espécie de rede de proteção aos países Brics e aos demais", disse nesta terça-feira, 15, a presidente, ao sair do hotel para o Centro de Convenções de Fortaleza, onde ocorre a VI Reunião de Cúpula do Brics.
El BRICS firma el acuerdo de creación de un nuevo Banco de DesarrolloLa nueva institución financiera del BRICS reforzará significativamente el sistema financiero mundial en un momento en que la reforma del FMI se encuentra estancada. El nuevo banco será uno de las entidades multilaterales de desarrollo más grandes del mundo, pues el capital declarado será de 100.000 millones de dólares. El banco se caracterizará por una distribución equitativa de las participaciones del capital y la gestión de derechos. Se prevé que su sede se encuentre en Shanghái (China).

La creación del Banco de Desarrollo de BRICS permitirá a sus países miembros ser más independientes respecto de la política financiera de los países occidentales, según ha declarado el presidente ruso, Vladímir Putin en la sexta cumbre de BRICS.

Texto completo en: http://actualidad.rt.com/actualidad/view/134074-brics-acuerdo-crear-banco-desarrollo
http://actualidad.rt.com/actualidad/view/134074-brics-acuerdo-crear-banco-desarrollo

Chefes de Estado têm agendas cheias no Encontro do BRICS


"Os chefes de Estado dos cinco países devem deliberar sobre a criação do Novo Banco de Desenvolvimento do bloco, que financiará projetos de infraestrutura e de desenvolvimento sustentável. Também deve ser criado o Arranjo Contingente de Reservas – linha de defesa adicional para os países do bloco em cenários de dificuldade de balanço de pagamento.
Em 2013, a troca comercial brasileira com as economias do bloco em desenvolvimento chegou a US$ 101 bilhões, um montante que representa 21% do comércio brasileiro com o exterior. Em 2008, esse percentual era 14%." http://jornalggn.com.br/noticia/empresarios-e-lideres-dos-brics-terao-agenda-cheia-no-brasil
Lançamento IBGE divulga livro sobre países do Brics
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lança hoje (15), no âmbito da 6ª Conferência de Cúpula do Brics (grupo de países formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), a 5ª Publicação Estatística Conjunta dos Países Brics 2014 (Brics – 5th Joint Statistical Publication 2014).
Segundo o IBGE, o livro é o resultado dos esforços dos órgãos oficiais de estatística dos países que compõem o bloco que, desde 2010, trabalham em conjunto para disseminar informações econômicas, sociais e ambientais dos seus respectivos países. “Como o Brasil é o responsável pela implementação do Plano de Ação para o Brics no período de 2014/2015, coube ao IBGE coordenar a compilação de dados em níveis nacional e internacional”, explica o instituto.
http://www.noticiasaominuto.com.br/internacional/68595/ibge-divulga-livro-sobre-pa%C3%ADses-do-brics#.U8VRNZRdUhM
Falta uma NOTICIABRÁS
#BRICS
O Brasil é o “B” dos BRICs, embora o PiG dê a entender que o “B” é de Botswana.
(Jim O’Neill, criador da expressão BRICs quando trabalhava no Goldman Sachs, conta que, antes de divulgar o estudo, veio apresentá-lo a clientes do Goldman em São Paulo – e a seus diretores nativos, claro.  Estava no início do primeiro mandato do Lula. E foi pressionado pela platéia de vira-latas a tirar o “B” do acrônimo: não, o Brasil não chega lá; o Brasil não merece; ainda mais agora, com esse … de presidente … – devem ter sido os argumentos. O’Neill manteve o “B” e mais: comprou Reais. E ganhou muito dinheiro com a valorização da moeda brasileira. Sobre o episódio, consultar o livro “O Mapa do Crescimento”, do próprio.)
Nessa reunião de Fortaleza se tornará ainda mais claro que os BRICs criam mecanismos políticos de pressão sobre os (atualmente) mais ricos e sobre as instituições que criaram no pós-II Guerra – como a ONU, o FMI e Banco Mundial.
Além disso, os BRICs começam a criar instrumentos – como um banco – para substituir o FMI e o Banco Mundial e acelerar a substituição do dólar americano como moeda de reserva.
Fortaleza, teu novo nome é Bretton Woods – sob o sol escaldante !
(Os paulistas vão ficar uma fera ! Bem que a Dilma disse ontem. Que estava indo a Fortaleza para o evento dos BRICS, o que, antes, só se realizava em Brasília ou no Sudeste. Quer dizer, São Paulo…)
E como levar esse novo mundo ao resto do mundo ?
A China e Rússia montaram poderosos  mecanismos de difusão de informações.
agência de notícias Xinhua é muito competente – ler artigo de seu presidente Li Congjun, no Pig cheiroso, o Valor, que a Dilma não lê, assim como não vê a Globo.
Ele trata de “BRICs pode ter uma imprensa forte”.
A CCTV, a televisão estatal chinesa, exibe programas em diversas línguas – inclusive espanhol – com material de muito boa qualidade.
A Rússia tem uma TV em língua inglesa que contratou o ancora americano Larry King.

http://www.conversaafiada.com.br/economia/2014/07/15/brics-falta-uma-noticiabras/
Fortaleza Encontro do Brics reúne ministros e empresários
Durante a reunião de Cúpula, os chefes de Estado dos cinco países vão deliberar sobre a criação do Novo Banco de Desenvolvimento do bloco, que financiará projetos de infraestrutura e de desenvolvimento sustentável. Também deve ser criado o Arranjo Contingente de Reservas – linha de defesa adicional para os países do bloco em cenários de dificuldade de balanço de pagamento. Em Brasília, na próxima quarta-feira (16), ocorrerá reunião de trabalho entre os mandatários dos países do Brics e chefes de Estado e de Governo da América do Sul.
http://www.noticiasaominuto.com.br/economia/68472/encontro-do-brics-re%C3%BAne-ministros-e-empres%C3%A1rios#.U8VN25RdUhN

#BRICS:  DILMA RECEBE BRICS POR BANCO E FUNDO DE US$ 150 BI


Copa do Mundo da Economia Global tem partida histórica entre a terça-feira 15 e a quarta 16, em Fortaleza; tudo certo para a criação de um banco de desenvolvimento com US$ 50 bilhões em caixa e um fundo de reserva de US$ 100 bilhões, durante a 6ª Cúpula dos Brics; instituição e poupança são alternativas ao Banco Mundial e ao FMI; "ideia é fascinante", aplaude criador do termo, Jim O'Neill; alguma coisa está mudando na ordem mundial...
"Os países do bloco terão cotas iguais no novo banco, a partir de depósitos de US$ 10 bilhões cada um. A sede da instituição multilateral ainda não está definida, mas a capital do Ceará já se candidata informalmente para conseguir a primazia. Quanto ao fundo de US$ 100 bi, faz parte do Acordo de Reservas de Contingência (CRA) assinado pelos Brics, com regras para utilização em caso de crise econômica. Os recursos deverão ser aplicados no mercado financeiro global.
- Desde o surgimento dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), em 2009, o diálogo do grupo ganhou em profundidade e extensão, mas agora abrimos um novo ciclo com a criação de dois mecanismos financeiros próprios", disse o subsecretário político do Itamaraty, José Alfredo Graça Lima. o Acordo de Reservas de Contingência (CRA), uma espécie de fundo de estabilização econômica para ajudar países em crises financeiras, serão formalizados na VI Cúpula dos líderes dos Brics."http://www.brasil247.com/pt/247/economia/146477/Dilma-recebe-Brics-por-banco-e-fundo-de-US$-150-bi.htm

Vladimir Putin na América Latina, com a bola no pé
#Putin #BRICS
“A jornada tem por objetivo construir uma rede de pivôs, do norte ao sul das Américas”, prega Vladimir Orlov, diretor do PIR, um think-tank do governo em Moscou. Colocada à margem das políticas globais, agora “estamos nos voltando com mais atenção e deferência aos nossos parceiros naturais, que não aderiram às retaliações”. E segundo Orlov, apesar de sua avançada idade, Fidel Castro é “o último dos moicanos” cuja análise sobre a atual e a futura ordem global Putin sabe apreciar.
E por falar em BRICS, diz Orlov, a etapa final da jornada do presidente: “Representamos cinco civilizações-chave, que contam 43% da população mundial”.
http://jornalggn.com.br/blog/frederico-fuellgraf/vladimir-putin-na-america-latina-com-a-bola-no-pe
Segurança para o Encontro do #BRICS
Brics mobilizará 7,6 mil agentes em Fortaleza
Todas as forças de segurança, nacional, estadual e municipal, estarão mobilizadas na próxima semana, em Fortaleza, para garantir a segurança da VI Cúpula dos Brics, grupo formado por países emergentes (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). No total, 7.689 agentes de diversos órgãos estarão na Capital para assegurar a proteção das comitivas dos cinco países, nas próximas segunda, 14, e terça-feira, 15, no Centro de Eventos do Ceará (CEC). Veja mais:
http://www.opovo.com.br/app/opovo/cotidiano/2014/07/12/noticiasjornalcotidiano,3280834/brics-mobilizara-7-6-mil-agentes-em-fortaleza.shtml

DILMA ALMOÇARÁ COM 15 CHEFES DE ESTADO ANTES DA FINAL DA COPA

São esperados até o momento 15 chefes de Estado e de governo. Foram confirmados até esta quarta-feira os presidentes da África do Sul, Jacob Zuma; da Rússia,Vladimir Putin; do Congo, Denis Sassou-Nguesso; da República Democrática do Congo, Joseph Kabila; da Hungria, János Áder; do Haiti, Michel Martelly; e a chanceler alemã, Angela Merkel.

Alguns dos nomes participarão de reuniões dos Brics, marcadas para acontecer nos dias 14 e 15 em Fortaleza (CE) e no dia 16 em Brasília. Há ainda agendadas reuniões da Unasul para acontecer na capital federal no próximo dia 16.

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/146278/Dilma-almo%C3%A7ar%C3%A1-com-15-chefes-de-Estado-antes-da-final-da-Copa.htm


#BRICS são fator de peso no cenário internacional

"O grupo dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) se estabelece hoje como um importante bloco que agrupa grandes populações e extensos territórios com um peso transcendental no cenário político internacional.
Trata-se de nações com enormes recursos naturais e um crescimento sustentado de suas economias que darão um significativo passo na reunião de líderes deste grupo que se realizará no Brasil na próxima semana com a criação de um banco de desenvolvimento, declarou a Prensa Latina o escritor e diplomata Samuel Pinheiro Guimarães.

Ele explicou que a entidade financeira de alavancagem terá um capital de 50 bilhões de dólares, com contribuição inicial de 10 bilhões de dólares, que será abonado em partes iguais pelos cinco membros.

Os presidentes destes cinco países assinaram outro acordo que estabelece a instauração de um fundo de reserva, o qual contará com 100 bilhões de dólares e será tributado da seguinte forma: China entregará 41 bilhões, enquanto Brasil, Rússia e Índia,18 bilhões cada um e África do Sul cinco bilhões de dólares.

Guimarães disse que estas instituições constituirão uma alternativa ao Banco Mundial (BM) e ao Fundo Monetário Internacional (FMI), que necessitam de urgentes reformas e se diferenciarão no aspecto de que outorgarão empréstimos a seus membros sem condicionamentos ou a imposição de receitas neoliberais."

Cinco chefes de estado confirmam a participação na conferência do BRICS

#6ªConferênciaBRICS
Às 10 horas do dia 15, Dilma Rousseff presidirá a abertura do encontro.
Cerca de 700 empresários dos cinco países devem participar da Cúpula.

Fortaleza vai sediar no dia 14 e 15 de junho a VI Conferência de Cúpula do Brics, grupo que congrega  cinco países com características econômicas similares: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Além dos encontro entre as delegações dos cinco chefes de Estado – Dilma Roussef, Vladimir Putin, Narendra Damodardas Modi, Xi Jinping e Jacob Zuma, respectivamente, a Conferência também será palco de Encontro Empresarial e de uma reunião com os ministros das áreas econômicas dos cinco países.
http://g1.globo.com/ceara/noticia/2014/07/cinco-chefes-de-estado-confirmam-participacao-na-conferencia-do-brics.html
MOEDA CHINESA COMEÇA A SER DISPUTADA!
ERA QUESTÃO DE TEMPO...
http://correiodobrasil.com.br/ultimas/bc-frances-fecha-acordo-para-estruturar-sistema-de-pagamento-em-moeda-chinesa/713473/?
A concorrência é feroz entre os principais centros financeiros da Europa para operar a moeda chinesa. Frankfurt e Luxemburgo estão disputando com Londres, favorita de muitos analistas, e a Suíça está tentando fortalecer seu caminho para a competição.
O sistema de pagamento acordado entre a França e a China vai funcionar com base em um banco de compensação, que será designado pelo Banco do Povo da China (PBOC), disse o banco central francês.
Cerca de 650 empresários dos BRICS realizaram inscrições para encontros
#6ªConferênciaBRICS
A 6ª Conferência no Brasil que se realiza nos dias 14 e 15 de julho de 2004. Ela pretende realizar dois encontros de negócios na tarde e noite de segunda-feira (14), no Centro de Eventos do Ceará. Segundo a Coordenadora de Rede de Centros Internacionais de Negócios da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Sara Saldanha, até 9h desta terça-feira (8), 648 empresários se inscreveram para participar do Foro Empresarial e do Business Networking. "A Expectativa que a CNI tem em realação ao Brics é aproximar as relações e as parcerias entre os cinco países integrantes", disse Sara.
http://g1.globo.com/ceara/noticia/2014/07/cerca-de-650-empresarios-dos-brics-realizaram-inscricoes-para-encontros.html
6a. Conferência no Brasil - #BRICS
#6ªConferênciaBRICS
Preparação para a 6a. Conferência do BRICS que acontecerá em Fortaleza dia 15 de julho, 2 dias depois da Copa, tem encontro no Rio:
A cerimônia de abertura será realizada no Auditório da CAIXA, na Av. Almirante Barroso, nº 25 e os debates e conferências no auditório da Coppe/UFRJ, no CT2– Ilha do Fundão. O encerramento, com apresentação do site da Conferência e entrevista coletiva, será no Hotel Novo Mundo, na Praia do Flamengo, 20. Maiores informações no sitewww.brics21.com.br.
Veja o que será discutido neste encontro preliminar em matéria do Conversa Afiada :
http://www.conversaafiada.com.br/economia/2014/05/19/os-brics-conheca-mais/
"A intenção dos organizadores – o Intersul (Instituto de Estudos Estratégicos para a Integração da América do Sul) – é transformar a Conferência no núcleo inicial de um think tank permanente dos países emergentes, que se reúna anualmente acompanhando as reuniões de cúpula dos BRICS e que reflita seus interesses e preocupações com o intuito de ajudar os governos a responder aos grandes desafios estratégicos contemporâneos.
O evento, gratuito, será aberto pelo Prefeito do Rio de Janeiro e pelos presidentes do BNDES e da Caixa e contará com a presença de representantes do Itamaraty e de vários Embaixadores. Os interessados em participar devem encaminhar uma mensagem para o e-mail inscricoes@brics21.com.br."

Afiando as garras
http://envolverde.com.br/economia/os-brics-afiam-suas-garras/Ao contrário do que os jornais corporativo e a grande mídia dizem, no Brasil e no mundo, o BRICS vem aí MESMO!

Quem desdenha quer comprar:
Abaixo dois artigos que diminuem a organização para não criar impacto e reduzir especulações. Na verdade o BRICS é a nova dor de cabeça da economia neoliberal. No primeiro os participantes do BRICS recebem o nome de 'os cinco frágeis' . Brincadeira, não.!?
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/01/1404758-analise-cinco-frageis-sao-mais-recente-clube-de-mercados-em-crise.shtml
E no outro também: "organização fraca". Confira:
http://br.rbth.com/internacional/2014/04/11/critica_ao_brics_como_organizacao_fraca_nao_tem_fundamento_diz_25099.html
CHINA INVESTE EM CINEMA
Uma nova Bollywood?
“O fundo de desenvolvimento da cultura vai promover especificamente a tecnologia de produção cinematográfica, ajudar a exportar filmes chineses, investir em produções comerciais e produzir websites para filmes”, informou a agência.
Xinhua não disse por quantos anos o governo vai oferecer o financiamento. Bancos serão incentivados a emprestar dinheiro para o setor, produtoras serão encorajadas a emitir ações e títulos para o mercado financeiro e companhias seguradoras serão estimuladas a comprar participações em empresas do setor cinematográfico, acrescentou a agência.
As bilheterias chinesas são tradicionalmente dominadas por filmes de Hollywood, mas os filmes chineses ultrapassaram os rivais norte-americanos em 2013, abocanhando mais de 58% das bilheterias, de acordo com dados oficiais, o que fez o governo acreditar nos investimentos para impulsionar o talento nacional.
http://correiodobrasil.com.br/destaque-do-dia/china-investe-em-cultura-com-apoio-macico-ao-cinema-nacional/711560/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20140620

Só a Distância, diz Aleksêi Likhatchov
Em visita oficial ao Brasil, o presidente da delegação russa da comissão intergovernamental russo-brasileira e vice-ministro do Desenvolvimento Econômico, Aleksêi Likhatchov, falou exclusivamente à Gazeta Russa sobre a expansão da cooperação econômica entre os dois países e as dificuldades existentes.http://br.rbth.com/internacional/2014/04/16/distancia_fisica_que_nos_separa_do_brasil_e_unica_barreira_obje_25167.html

Sanções americanas aceleram ações do BRICS
Parece que os cinco frágeis está incomodando mais do que parece!
http://correiodobrasil.com.br/destaque-do-dia/sancoes-contra-a-russia-agilizam-a-formacao-de-novo-mercado-financeiro/693832/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20140326
Pela 3ª vez, supercomputador chinês é o mais rápido do mundo
Quatro computadores brasileiros aparecem no Top500 -- o mais rápido do Brasil ocupa a 96ª colocação no ranking geral.

Além de liderar a lista com o Tianhe-2, a China aumentou sua presença na lista, que é publicada duas vezes por ano desde 1993. O número de aparelhos chineses no ranking aumentou 20%, enquanto a presença de máquinas dos Estados Unidos caiu 15%.
Apesar disso, os Estados Unidos ainda dominam a tabela, com 233 computadores. A China tem hoje 76 supercomputadores no Top500 – na lista anterior, eram 63. O número de aparelhos chineses na lista é praticamente a soma de todas as máquinas do Reino Unido (30), da França (27) e da Alemanha (23) que estão no ranking.
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/06/140625_supercomputador_ranking_china_lb.shtml

6a. Reunião de cúpula do Brics é adiada a pedido da China
http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2014/01/1396239-china-pede-e-brasil-muda-data-de-cupula-dos-brics-por-causa-da-copa.shtml
O encontro que aconteceria em março, foi marcado para dia 15 de julho, dois dias depois do término da Copa Mundial de Futebol.

Decretado como morto, BRICS recebem 20,6% mais investimentos estrangeiros diretos em 2013
http://novascartaspersas.wordpress.com/2014/01/29/decretado-como-morto-brics-recebem-17-mais-investimentos-estrangeiros-diretos-em-2013/

Grupo de cinco países concentrou no ano passado 22% de inversões produtivas do mundo


Como ignorar o BRICS?
tags: #NovaGeopolítica; #Brics

"Apesar da economia dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) ter cambaleado durante 2013, ignorar ou recusar esse bloco, colocado no outro lado dos Estados Unidos, seria um erro monumental porque seu potencial é inegável e incontido."
E a origem deste cambaleio tem a ver, justamente, da matéria anterior, onde se dizia que o Brics mexeu com o brio dos EUA. Foi como se a Guerra Fria, que na verdade nunca esfriou, de repente se tornasse brasa. Houve problemas nos jogos russos e muita coisa se falou sobre a China. Mas aí Mandela morreu e um certo relatório veio mostrar ao mundo que a China superou comercialmente os EUA... 
Leia mais: http://correiodobrasil.com.br/economia-4/potencial-de-economia-dos-brics-e-inegavel-e-incontido/676822/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20140113


EUA se preparam para esmagar o BRICS


"A acumulação de forças aéreas e terrestres pela OTAN ao longo da fronteira russa no leste europeu e a viagem de poder e influência do presidente Barack Obama à Ásia tem um único objetivo. As forças visíveis e invisíveis que comandam de fato e ditam a política aos fantoches em Washington, Londres, Paris, Bruxelas, Berlim e outras capitais vassalas decidiram esmagar o grupo BRICS – o emergente e poderoso bloco financeiro que engloba Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.
Militarismo
As discussões bilaterais e multilaterais entre os cinco poderes econômicos emergentes, destinadas a dissociar as economias BRICS do dólar americano como moeda de reserva e comércio vão de encontro ao único poder que Washington pode reunir a favor tanto de si mesmo quanto de seus naufragantes aliados – a força militar.Os problemas entre Ucrânia e Rússia sobre Crimeia e federalismo são apenas uma máscara da qual Obama se serve para disfarçar suas verdadeiras intenções, que são a pulverização do grupo BRICS como uma alternativa viável para o sistema neocolonialista do ocidente e a total submissão das economias BRICS aos caprichos de Washington e de seus cambaleantes vassalos da União Européia.
http://democraciapolitica.blogspot.com.br/2014/05/eua-se-preparam-para-esmagar-os-brics.html
Sabe de nada, Inocente!
Hotel de 30 andares construído
em 15 dias na província de Hunan em 2011
"Já há 160 cidades chinesas com mais de um milhão de habitantes. Na Europa, existem 35. A conurbação criou 11 ultramegalópoles com 60 milhões de habitantes cada uma, em média.  Mas ao contrário do ocorrido na América Latina, a urbanização chinesa foi acompanhada de um aumento de renda. Um total de 350 milhões de chineses saiu da pobreza desde 1990. A capacidade de consumo per capita subiu 300% no mesmo período."
Que crise? A verdade é que ninguém segura a China. A imprensa neo-liberal vai malhar em ferro-frio com a intenção de desviar a atenção para o fenômeno de crescimento e de assertivas dos chineses. Enquanto ela fala, eles avançam!
Veja o vídeo neste link: https://www.youtube.com/watch?v=GVUsIlwWWM8

http://www.cartacapital.com.br/economia/temor-de-crise-na-china-ignora-a-forca-da-urbanizacao-e-da-economia-2150.html
Aumenta a Parceria Brasil e China
http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/energia/detalhe/edp_e_china_three_gorges_estabelecem_parceria_no_brasil.html
A EDP Brasil celebrou um acordo com a CWEI Brasil, uma participada da China Three Gorges, que passará a ser parceira na construção de uma hidroeléctrica em São Manoel, no Brasil.


Parceria Brasil e Rússia
http://br.rbth.com/articles/2012/06/19/cooperacao_militar_com_russia_deve_ser_estimulada_diz_dilma_14677.html
19/06/2012 Das agências de notícias
Cooperação militar com Rússia deve ser estimulada, diz Dilma
Em conversa com o homólogo russo durante a cúpula do G20, presidente do Brasil sugeriu o fortalecimento das relações.


O que o BRICS tem a ensinar
http://br.rbth.com/blogs/2014/04/24/o_que_o_brics_tem_a_ensinar_25289.html
#CaetanoVeloso
Se o mundo não começar a entender o pensamento econômico do BRICS vai ficar na esteira dos negócios daqui pra frente. Ontem economia se lia nas teorias inglesas. Hoje na prática dos países do BRICS. É uma realidade prática. Só não vê quem não quer. A economia hoje tem a ver com cooperação e distribuição e muita parceria. Coisa que antes era na base do 'VENHA A NÓS', somente.
"Ao conhecermos melhor o que pensam economistas e pensadores da área de negócios dos Brics, bem como de outros países emergentes, estaremos ampliando os limites de nosso pensamento e, portanto, de nossa esfera de atuação. " (...)
"Praticamente tudo que leio na imprensa russa de economia e negócios de autoria russa é desconhecido no Brasil e vice-versa. É como se fôssemos invisíveis uns para os outros nesses dois domínios do conhecimento, apesar de ambos os países estarem –há mais de uma década– entre as dez maiores economias do planeta. Na Skolkovo Business School, em Moscou, há diversas referências ao Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), como por exemplo um belo auditório chamado Belo Horizonte. No Brasil, o Brics começou a ser conhecido e valorizado enquanto grupo de países onde está e estará se dando boa parte do crescimento econômico global.  
Por que não começarmos a estudar a cultura de negócios, bem como o pensamento econômico, de cada um dos países que compõem o Brics? "
A Expansão do BRICS
A bola da vez é a Argentina. 
A Argentina pode se tornar o sexto membro dos BRICS. Enquanto os participantes deste bloco crescente de países estão analisando os prós e contras da expansão, especialistas preveem um futuro bastante otimista para o grupo. Muitos podem achar que o país ainda não tem o peso econômico que se exige dos países do bloco. Mas a economia é pequena e se recupera logo a partir do que o BRICS vai oferecer. Em contrapartida a Argentina oferece união nacional, índice educacional e vontade de crescer, comunga as mesmas idéias e não pode perder as recentes conquistas. É portanto um excelente parceiro. Não se poderia dizer o mesmo do México dos últimos tempos que estava bem e se envolveu com o neoliberalismo e a economia tende a cair. E os ideários já não são os mesmos, por ora.
É claro que a imprensa comandada pelo 'neoliberalismo' vai começar a denegrir a imagem da Argentina neste momento. É natural. Os americanos não vão querer essa união, justamente agora. Deve ser, na verdade, um duro golpe para eles.

Leia mais: http://portuguese.ruvr.ru/2014_05_14/BRICS-a-caminho-de-expansao-5701/

http://portuguese.ruvr.ru/2014_05_14/BRICS-a-caminho-de-expansao-5701/

A DESDOLARIZAÇÃO DO MUNDO
O assunto é palpitante. De repente o dólar se vê ameaçado e uma nova moeda tende a ser criada. Veja nos links abaixo:
http://olharxver.blogspot.com.br/2012/09/china-pretende-lancar-nova-moeda.html

Para que serve a moeda?
"A primeira função é a de meio de pagamento. Grande parte do comércio mundial continua sendo pago em dólares, mesmo quando se trata de petróleo vendido pela Arábia Saudita à Índia, isto é, dois países que, teoricamente, poderiam muito bem decidir regular suas transações bilaterais em rupias indianas ou talvez em euro ou em francos suíços.
Segunda função é a de "depósito de moeda". Dois terços das reservas de valor dos bancos centrais são em dólares. E também uma quantidade relevante da riqueza privada dos europeus, dos asiáticos, dos árabes e dos latino-americanos é investida em dólares. Essa centralidade era perfeitamente lógica em 1944, quando, na conferência de Bretton Woods, foi projetada a ordem econômica internacional em vista do fim da Segunda Guerra Mundial.
A América de Roosevelt tinha, então, uma supremacia absoluta, no campo econômico, político, militar. Abusou dela, pelo menos do ponto de vista monetário, quando começou a imprimir dólares exportando a sua inflação para o resto do mundo: antes, com a Guerra da Coreia, depois com a Guerra do Vietnã. É o que pode acontecer, no futuro, por efeito dos gigantescos déficits públicos acumulados em Washington com as manobras antirrecessão.
A instabilidade monetária aberta em 1971 deu um impulso poderoso ao projeto europeu de criação de uma moeda única: tratava-se sobretudo de proteger o mercado único europeu de choques monetários exógenos. Quando não existia o euro, as flutuações brutais do dólar desestabilizavam também a paridade de câmbio entre o marco alemão, a lira italiana, o franco francês. O euro protegeu o intercâmbio comercial entre os países da União desse choque.
Mas não foi capaz de desafiar o papel do dólar nas trocas com outras áreas do mundo (Ásia, America Latina, África); muito menos no campo financeiro, onde só o dólar continua tendo o status de moeda universal, ao ponto que dois terços dos dólares em circulação são mantidos no exterior. A razão: a dimensão superior dos mercados financeiros norte-americanos e a sua notável liquidez.
Agora, um novo desafio à liderança universal do dólar foi lançado pela China. A proposta chinesa de uma "moeda global" que substitua o dólar como instrumento de reserva, lançada em março pelo G20 em Londres, foi reforçada no G8 de L'Aquila." - Veja mais em:


O fim da Era do Dólar mais próximo do que parece:

Dólar deixa instável economia e emergentes cogitam nova moeda
http://correiodobrasil.com.br/ultimas/dolar-deixa-instavel-economia-e-emergentes-cogitam-nova-moeda/680404/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20140129
"O desordenamento que a flutuação da moeda norte-americana vem causando nos países emergentes como a Argentina e, em menor proporção, o Brasil, reforçou a tese de que os países que não integram a América do Norte e a União Europeia devem adotar uma nova moeda, capaz de fazer frente ao poderio do dólar e das grandes economias mundiais."
O Valor do Real no BRICS: moeda estratégica
O real é a moeda de melhor desempenho desde o início do ano frente ao dólar, entre divisas de mercados emergentes e de países desenvolvidos. O real ganhou mais de 6% neste ano e de 12% desde fevereiro, segundo dados da Bloomberg e do Citigroup publicados pelo Wall Street Journal.
Isso marca um período positivo para moedas de mercados emergentes, com a rupia indonésia e a rupia indiana, em segundo e terceiro lugar, respectivamente, ambos com valorização de mais de 9% desde fevereiro.
http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/no-bric-real-e-a-moeda-mais-valorizada-ante-o-dolar

com O “SHUTDOWN” AMERICANO, OS AVANÇOS DA CHINA vão desamericanizar o mundo

"Num recado curto e grosso o comunicado chinês sentencia: “Talvez tenha chegado a hora deste mundo confuso começar a pensar num mundo desamericanizado”. Num tom duro, o comunicado continua: “Em vez de honrar seus deveres como uma potência de liderança responsável, …Washington abusa de seu status de superpotência e introduz mais caos no mundo, transferindo os riscos financeiros para o exterior, fomentando tensões regionais … e deslanchando guerra indesejadas sob a cobertura de mentiras vergonhosas”.

A imprensa americana e européia registrou a agressividade do discurso oficial chinês. No entanto, outra notícia relativa às manobras financeiras da China passou meio despercebida. Segundo o blog Zero Hedge, especializado nos assuntos financeiros americanos e mundiais, a China tem realizado compras elevadas de ouro nos últimos anos."

http://www.conversaafiada.com.br/economia/2013/10/17/china-vai-desamericanizar-o-mundo/

TRANSIÇÃO para a nova Moeda

Brics farão empréstimos entre si em moeda nacional em vez do dólar
A questão da moeda usada no comércio entre os cinco países avançou desde o encontro anterior, em Brasília. A presidente Dilma Rousseff, o presidente russo, Dimitri Medvedev, o primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, e o presidente sul-africano, Jacob Zuma, devem aprovar um acordo entre bancos que permitirá aos cinco países oferecer créditos ou ajuda financeira em suas próprias moedas – e não mais em dólar.
O Banco de Desenvolvimento da China declarou-se pronto para injetar 10 bilhões de yuans em empréstimos no Brasil, na Rússia, na Índia e na África do Sul. Segundo o presidente do banco, Chen Yuan, a decisão faz parte dos esforços do grupo em diminuir o uso do dólar no comércio e nos investimentos bilaterais e tem como foco grandes projetos nas áreas petrolífera, de gás natural e de infraestrutura.
http://www.dw.de/brics-far%C3%A3o-empr%C3%A9stimos-entre-si-em-moeda-nacional-em-vez-do-d%C3%B3lar/a-14988943
Brics vem ganhando notoriedade. Até n'O Globo:
Apesar da grande imprensa brasileira tentar ignorar o avanço do BRICS ela acaba por ter de divulgar as suas ações pois envolvem grande importância geopolítica. Saiu no BLOG DO NOBLAT:
http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2013/04/09/brics-prioridade-para-os-negocios-por-carlos-tautz-492684.asp

Teorias Conspiratórias à parte, uma nova Moeda se defronta agora com a tão temida Ordem Mundial Cabalística dos Illuminati
"E agora Illuminati/Cabala?

Já perderam a sua hegemonia bélica (com a China piam baixinho), estão na bancarrota e com as suas principais fontes de rendimento cortadas, estão a perder a sua hegemonia financeira e os seus meios de influência, os "amigos" afastam-se, estão cada vez mais sozinhos e isolados, está a crescer exponencialmente o número de pessoas que sabem da sua existência e modo de actuação."
http://mariosanchezs.blogspot.com.br/2012/12/moeda-ouro-da-china.html

EUA contra uma Nova Moeda Mundial
O BRICS mexeu com os brios americanos e os EUA querem colocar logo um fim na possibilidade de uma nova ordem mundial. A intensificação das espionagens explica isso:
http://molinacuritiba.blogspot.com.br/2013/09/o-imperio-o-george-orwell-o-big-brother.html

As reuniões de cúpula do BRICS: O Significado
http://kaosenlared.net/component/k2/item/52661-qual-%C3%A9-o-significado-da-reuni%C3%A3o-de-c%C3%BApula-dos-brics-?.html

A 6a. Cúpula do BRICS está agendada para o Brasil. Será em Março, em Fortaleza:
http://www.brasilportugal.org.br/ce/noticia/5453,ceara-deve-sediar-encontro-dos-brics-em-2014.html

Um novo caminho das Índias... - diz Dilma
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,dilma-diz-que-este-e-o-seculo-de-um-novo-caminho-das-indias,855542,0.htm

Um banco de desenvolvimento comum (Apenas para o grupo ou para concorrer com o BID?)
http://www.ipsnoticias.net/portuguese/2013/04/africa/banco-do-brics-chega-com-promessas-e-dvidas/

A participação de Dilma no BRICS
http://tv.estadao.com.br/videos,brics-se-reunem-em-nova-delhi,165295,254,0.htm

O lado de fora está de olho e se organizando. Quem tiver olhos de ver, que veja:
http://bricspolicycenter.org/homolog/Event/Evento/684

Os ingleses torcem para que o Brasil saia do BRICS. Eles entendem a força que o Brasil tem no grupo e o que nós representamos para o BRICS no bloco americano:
http://www.onip.org.br/temas/bric/
Dilma: A hora da verdade
A crise mundial instaurou a hora da verdade nessa endogamia entre o circuito do dinheiro e o da notícia.
http://www.cartamaior.com.br/?/Editorial/Dilma-enfrenta-a-patria-rentista-midia-uiva/28851
Nossos netos é que vão herdar...
http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/89/o-mundo-e-os-brics-7495.html

Nenhum comentário:

Formulário de Contato - Expresse sua opinião. Retornarei!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja as Postagens Populares do blog

Aguardo você por lá!...

Informação Importante

Este blog - O Blog de Poesias do Profex - anexa ou linka textos da internet preocupando-se em dar o devido crédito a eles e sua origem. As imagens, na sua maioria são do banco de dados do Google, conforme indico junto às postagens. Quem se sentir lesado por uma exibição indevida, por favor entre em contato para que eu possa atribuir os respectivos créditos; ou ainda, se for o caso, retirar das páginas a postagem ou imagem em questão.

Espero portanto que se um leitor tiver a pretensão de usar uma matéria (ou parte dela), um poema (ou um excerto dele), faça da mesma forma, dando o devido crédito junto à elas, sob pena de se fazer valer a Lei de Direitos Autorais.


E-mail: professorexpedito.radialista@hotmail.com
Some images used on the BLOG DO PROFEX are taken from the web via Google Images, if by chance you find any here who is registered and of his own, let me know that I will be happy to credit! Thank you!

Últimas Postagens

.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...