Abrir popup
Poesias, Varginha-Terra do ET, BRICS, Dicas, Frases e Reflexões...

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Meus Poemas - Sem Repente

Uai, mais uns versos sem remendos de um mineirim!...


SEM REPENTE

Costuro 'fazendo arte'
essas tais correspondências:
Do objeto, a serventia;
do sujeito, vem a função;
o todo tomado em partes,
dividido com ciência,
mas sem muita garantia. 

Na reunião dos pedaços,
pra compor o dia a dia,
o verso, a rima e a canção, 
é preciso mais que um laço.
Há um traço além da linha,
um trem apitou na curva
e vai passar nesta ponte...

Satisfação de mineiro
ninguém mesmo adivinha;
e beber dessa água tão turva
ninguém precisa temer.
Que dela não se amedronte,
pois ela é como o dinheiro,
um pouco é preciso ter.

Falando estou da cautela.
Preste, pois, muita atenção
que o jogo começa agora.
Nesta colcha de retalhos
o coração eu emprego:
a costura é feita à mão,
remendada à luz de vela.

Mão, a melhor ferramenta:
não tem dia e nem tem hora;
pra quem enxerga ou é cego,
serve pra qualquer trabalho,
condiciona e complementa.
Pois neste repente o mineiro
também sabe manobrar.

Tira a rima da cabeça,
o debaixo com o de cima,
por inteiro ele combina,
como se fosse apanhar
-pra sede, água pura da mina
e, para enfeitar o prato,
os ovos do galinheiro.

Pra que serve a borracha,
a brisa e a boa pinga?
Vejamos este relato,
acompanhe o raciocínio:
Não me arrependo dos erros
se a brisa pra mim é vento,
se quem bebe é de garrafa.

Na encruzilhada, a mandinga.
Passo por cima, disfarço,
feijão com arroz 'tá escasso
e o chefe gritando aos berros.
Não sei se ainda aguento viver,
não sei onde me encaixo,
perdido sem o meu espaço...

Repente de mineiro é assim,
cheio de idas e vindas.
No meio tem altos e baixos,
tem frase tão desconexa,
que o crítico acha ruim;
quem não entende acha linda!-
e um outro poeta esconjura.

Se as opiniões eu racho
e não posso fugir da pecha,
apago então essa vela
na mais pura alegria! 
Deixo a cautela de lado,
não ligo, já nada me avexa:
pois esse mal há de ter cura!..

Autor: Expedito Gonçalves Dias (Profex)
Escrito em 12-04-1992 em Lambari-MG, as 23 h
(fonte da imagem: www.mineirosemqueijo.com)

Formulário de Contato - Expresse sua opinião. Retornarei!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja as Postagens Populares do blog

Aguardo você por lá!...

Informação Importante

Este blog - O Blog de Poesias do Profex - anexa ou linka textos da internet preocupando-se em dar o devido crédito a eles e sua origem. As imagens, na sua maioria são do banco de dados do Google, conforme indico junto às postagens. Quem se sentir lesado por uma exibição indevida, por favor entre em contato para que eu possa atribuir os respectivos créditos; ou ainda, se for o caso, retirar das páginas a postagem ou imagem em questão.

Espero portanto que se um leitor tiver a pretensão de usar uma matéria (ou parte dela), um poema (ou um excerto dele), faça da mesma forma, dando o devido crédito junto à elas, sob pena de se fazer valer a Lei de Direitos Autorais.


E-mail: professorexpedito.radialista@hotmail.com
Some images used on the BLOG DO PROFEX are taken from the web via Google Images, if by chance you find any here who is registered and of his own, let me know that I will be happy to credit! Thank you!

.verificar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...