Abrir popup
Poesias, Varginha-Terra do ET, BRICS, Dicas, Frases e Reflexões...

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Dois Poemas: Meu Canto - e - Uníssono (à guisa de réplica)

Meu Canto (...canto por que devo!)

Escrevo porque não sei cantar,
desafino muito e não guardo nada.
Escrevo em tom de agradecimento,
porque sinto vontade, porque devo!
Escrevo no intuito de afastar o tédio
e preencher os meus momentos.
E para ampliar minha liberdade,
escrevo com a alma!

Sou grato por ter sido menino
e entendido o sinal da cruz;
por cada momento de glória.
Por ter caído e levantado;
por ter crescido um dia,
mantido minhas fantasias
e estar sempre encantado!
Por acreditar na arte
e usá-la como remédio...

Escrevo por que devo!
Porque tenho motivo!
Para que a história registre
e eternize minha crença na Luz,
na Paz, na Vida e no Suprimento;
na Presença dessa Energia
que me conduz vida afora...
Eu me atrevo a declarar
com imensa alegria: Deus existe!

Me atrevo a agradecer mais:
por fazer parte deste grande arquivo,
um pequeno dado da memória do mundo.
Escrevo por profundo respeito.
E, por não saber cantar,
faço, portanto, desse jeito!

Sou grato por ter feito
da escrita o meu canto,
da palavra, endereço;
e dela extrair a alegria
para enxugar todo o pranto!

Canto em versos sussurrantes
por entender ainda a tempo o que mereço;
por ter conhecido meus limites,
sem deixar de sentir a cada instante
os convites para viver intensamente!

Devo agradecer finalmente
por conseguir escrever,
vez em quando, certas palavras doces.
Sem querer ser petulante, vou além:
Se eu fosse você,
agradeceria também!


Autor: Expedito Gonçalves Dias (Profex)   
Escrito em Varginha, 24-02-2011 às 23:55 h


Uníssono(à guisa de réplica)


O QUE me alegra...
é que estou aqui, nessa lacuna do seu passado,
adequando os ladrilhos desse nosso novo jogo,
sem obedecer regras, despreocupado e feliz!


O QUE me alegra...
é saber que uma cicatriz pode ser um leitmotif,
a razão e a regra para grandes mudanças reais.
Os elementos, água, fogo, ar e essa nossa terra comum,
têm hoje com certeza, a preparação alquímica ideal.


O QUE me alegra...
é que estaremos a plantar as sementes do nosso amanhã,
com presteza, devagar, juntando nossos momentos.
Nem bem, nem mal, terreno virgem, sem trapaças.


O QUE me alegra...
É saber que comungaremos do mesmo pôr-de-sol;
que ao arrebol perceberei seu cúmplice sorriso;
que tocaremos nossa boca brindando em taças,
assim sem aviso ou motivo especial,
na raça, assim mesmo de improviso!


O QUE me alegra...
é perceber que nas praças veremos as mesmas flores
e ouviremos o sino que avisa o início do dia;
voltaremos ao quarto para dobrarmos os lençóis,
nos quedaremos, na cama, aos apelos do coração.


O QUE me alegra...
é ver é ver essa chama: no mesmo quintal,
texturas e cores, tocando a mesma grama.
Eis a simbiose perfeita, amálgama verdadeira:
Saber que uma só manhã, é a minha e é a tua!
Comeremos juntos ainda muitos quilos de sal
e rezaremos com fé pedindo Sabedoria ao Pai.


O QUE me alegra...
é que brigaremos pelas páginas do jornal
e debateremos, diante das rotas virtuais,
juntando nossas idiossincrasias e crescendo mais!
Faremos juras às sextas-feiras, namorando a lua.
Lavaremos nossa face na água de uma só torneira;
sentindo o aroma do café , teremos do pão a mesma fatia.


O QUE me alegra...
é que estaremos nas mesmas viagens,
indo do mais fundo de nós ao topo do mundo,
visitaremos aquela casa tão sonhada d'além-mar.
Sentiremos nossas idades no pulsar dos segundos!


O QUE me alegra...
é que  sempre crianças ou invejáveis adolescentes,
pelas janelas dos trens, dos aviões, numa só direção,
saborearemos a distância, olhando as luzes da cidade.
Contentes, colocaremos os dedos em potes de geléias,
tão juntos, soltos, tão felizes... que não haverá marcas,
tampouco contrapontos, evidências ou cicatrizes.


O QUE me alegra...
é saber que habitaremos os mesmos vazios;
subiremos em árvores, cruzaremos as mesmas pontes.
Que os caminhos das mais insanas ilusões serão banais.
Beberemos juntos de fontes perenes com nossas mãos.
Em fricções suaves espantaremos o frio dos nossos pés.
Construiremos castelos de areia, tão belos e necessários;
ora frágeis; outras vezes, verdadeiras fortalezas.
Sorveremos a beleza do mundo brindando ao sol.


O QUE me alegra...
Sentindo seu calor, afundaremos nossa pele no mar.
Os olhos refletidos em espelhos sentirão todos os tons.
Dos mistos aos puros, grandes planos ou nuances de cor.
Ao sentires o coração em  vermelho, me verá por perto.
Saberemos assim do lilás, azul, do verde, do amarelo...
pois eu quero definitivamente reservar para nós o arco-íris.


O QUE me alegra...
é que, numa mesma noite, irreverentes tocaremos a lua,
sentiremos as diferentes estações e seus momentos.
Ora veja-se no espelho das minhas idiossincrasias:
O açoite da tempestade cessou para nunca mais voltar!
Quero deixar pra você minha linda, minha branca:
todos os dias: os feriados, natal, carnaval, semana santa.


O QUE me alegra...
é sentir como são tantas ainda nossas oportunidades,
para imensa loucura, magia, alquimia, a quimera santa...
Seremos uma só parte, um só desejo, um só querer.
Veremos a cumplicidade do roubo de uma simples flor
ou das conchas rosipérolas colhidas na beira da praia.
Ouviremos os mesmos sons... notas uníssonas,
nossos sons  que só criam harmônicas melodias.


O QUE me alegra...
é suportar as mesmas chuvas, as mesmas luzes estelares.
No deserto, alegres ou tristes, sob qualquer tempo,
iremos atrás daquele abrigo comum e necessário.
Quimeras ao vento, desbravaremos todos os mares!


O QUE me alegra...
exulta em mim, por fim,
é saber que neste cenário somos uma só alma;
eu e você, inteiros, quixotes, semeando sonhos:
sonhos ancestrais, virtuais, coloridos de carmim...


O QUE me alegra...
é que mesmo em terras distantes, nos revelamos
como certeza: no tabuleiro, peças do mesmo jogo!
Tu -bebendo de nossas águas,
sentindo o gosto do sal...
Eu -saneando todo mal
e experimentando o nosso fogo!


Autor: Expedito Gonçalves Dias (Profex)   
Escrito em Varginha, 20-12-2010 às 23:55 h
Este poema também foi postado no Infinito Particular da Malu: 
http://www.tudoepossível-infinitoparticular.blogspot.com
   
...COMENTE E FIQUE ATENTO À PROMOÇÂO DO BLOG DO PROFEX: SORTEIO DE 2 CDS "QUANDO FALA O AMOR" , AUTOGRAFADOS POR RAFAEL BRAGA PARA TRÊS COMENTARISTAS DAS POSTAGENS FEITAS ATÉ 10/03/2011. SERÃO, PORTANTO, 6 CDs. O SORTEIO SERÁ FEITO NESSA DATA PELO PRÓPRIO CANTOR E OS PRÊMIOS SERÃO ENVIADOS PARA SUA CIDADE. PORTANTO, CASO SEJA VOCÊ O SORTEADO, ENTRE EM CONTATO COM O BLOG DO PROFEX PARA PASSAR SEU ENDEREÇO. GRANDE ABRAÇO!                                              

Formulário de Contato - Expresse sua opinião. Retornarei!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja as Postagens Populares do blog

Aguardo você por lá!...

Informação Importante

Este blog - O Blog de Poesias do Profex - anexa ou linka textos da internet preocupando-se em dar o devido crédito a eles e sua origem. As imagens, na sua maioria são do banco de dados do Google, conforme indico junto às postagens. Quem se sentir lesado por uma exibição indevida, por favor entre em contato para que eu possa atribuir os respectivos créditos; ou ainda, se for o caso, retirar das páginas a postagem ou imagem em questão.

Espero portanto que se um leitor tiver a pretensão de usar uma matéria (ou parte dela), um poema (ou um excerto dele), faça da mesma forma, dando o devido crédito junto à elas, sob pena de se fazer valer a Lei de Direitos Autorais.


E-mail: professorexpedito.radialista@hotmail.com
Some images used on the BLOG DO PROFEX are taken from the web via Google Images, if by chance you find any here who is registered and of his own, let me know that I will be happy to credit! Thank you!

.verificar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...