Abrir popup
Poesias, Varginha-Terra do ET, BRICS, Dicas, Frases e Reflexões...

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Dois Poemas: Meu Canto - e - Uníssono (à guisa de réplica)

Meu Canto (...canto por que devo!)

Escrevo porque não sei cantar,
desafino muito e não guardo nada.
Escrevo em tom de agradecimento,
porque sinto vontade, porque devo!
Escrevo no intuito de afastar o tédio
e preencher os meus momentos.
E para ampliar minha liberdade,
escrevo com a alma!

Sou grato por ter sido menino
e entendido o sinal da cruz;
por cada momento de glória.
Por ter caído e levantado;
por ter crescido um dia,
mantido minhas fantasias
e estar sempre encantado!
Por acreditar na arte
e usá-la como remédio...

Escrevo por que devo!
Porque tenho motivo!
Para que a história registre
e eternize minha crença na Luz,
na Paz, na Vida e no Suprimento;
na Presença dessa Energia
que me conduz vida afora...
Eu me atrevo a declarar
com imensa alegria: Deus existe!

Me atrevo a agradecer mais:
por fazer parte deste grande arquivo,
um pequeno dado da memória do mundo.
Escrevo por profundo respeito.
E, por não saber cantar,
faço, portanto, desse jeito!

Sou grato por ter feito
da escrita o meu canto,
da palavra, endereço;
e dela extrair a alegria
para enxugar todo o pranto!

Canto em versos sussurrantes
por entender ainda a tempo o que mereço;
por ter conhecido meus limites,
sem deixar de sentir a cada instante
os convites para viver intensamente!

Devo agradecer finalmente
por conseguir escrever,
vez em quando, certas palavras doces.
Sem querer ser petulante, vou além:
Se eu fosse você,
agradeceria também!


Autor: Expedito Gonçalves Dias (Profex)   
Escrito em Varginha, 24-02-2011 às 23:55 h


Uníssono(à guisa de réplica)


O QUE me alegra...
é que estou aqui, nessa lacuna do seu passado,
adequando os ladrilhos desse nosso novo jogo,
sem obedecer regras, despreocupado e feliz!


O QUE me alegra...
é saber que uma cicatriz pode ser um leitmotif,
a razão e a regra para grandes mudanças reais.
Os elementos, água, fogo, ar e essa nossa terra comum,
têm hoje com certeza, a preparação alquímica ideal.


O QUE me alegra...
é que estaremos a plantar as sementes do nosso amanhã,
com presteza, devagar, juntando nossos momentos.
Nem bem, nem mal, terreno virgem, sem trapaças.


O QUE me alegra...
É saber que comungaremos do mesmo pôr-de-sol;
que ao arrebol perceberei seu cúmplice sorriso;
que tocaremos nossa boca brindando em taças,
assim sem aviso ou motivo especial,
na raça, assim mesmo de improviso!


O QUE me alegra...
é perceber que nas praças veremos as mesmas flores
e ouviremos o sino que avisa o início do dia;
voltaremos ao quarto para dobrarmos os lençóis,
nos quedaremos, na cama, aos apelos do coração.


O QUE me alegra...
é ver é ver essa chama: no mesmo quintal,
texturas e cores, tocando a mesma grama.
Eis a simbiose perfeita, amálgama verdadeira:
Saber que uma só manhã, é a minha e é a tua!
Comeremos juntos ainda muitos quilos de sal
e rezaremos com fé pedindo Sabedoria ao Pai.


O QUE me alegra...
é que brigaremos pelas páginas do jornal
e debateremos, diante das rotas virtuais,
juntando nossas idiossincrasias e crescendo mais!
Faremos juras às sextas-feiras, namorando a lua.
Lavaremos nossa face na água de uma só torneira;
sentindo o aroma do café , teremos do pão a mesma fatia.


O QUE me alegra...
é que estaremos nas mesmas viagens,
indo do mais fundo de nós ao topo do mundo,
visitaremos aquela casa tão sonhada d'além-mar.
Sentiremos nossas idades no pulsar dos segundos!


O QUE me alegra...
é que  sempre crianças ou invejáveis adolescentes,
pelas janelas dos trens, dos aviões, numa só direção,
saborearemos a distância, olhando as luzes da cidade.
Contentes, colocaremos os dedos em potes de geléias,
tão juntos, soltos, tão felizes... que não haverá marcas,
tampouco contrapontos, evidências ou cicatrizes.


O QUE me alegra...
é saber que habitaremos os mesmos vazios;
subiremos em árvores, cruzaremos as mesmas pontes.
Que os caminhos das mais insanas ilusões serão banais.
Beberemos juntos de fontes perenes com nossas mãos.
Em fricções suaves espantaremos o frio dos nossos pés.
Construiremos castelos de areia, tão belos e necessários;
ora frágeis; outras vezes, verdadeiras fortalezas.
Sorveremos a beleza do mundo brindando ao sol.


O QUE me alegra...
Sentindo seu calor, afundaremos nossa pele no mar.
Os olhos refletidos em espelhos sentirão todos os tons.
Dos mistos aos puros, grandes planos ou nuances de cor.
Ao sentires o coração em  vermelho, me verá por perto.
Saberemos assim do lilás, azul, do verde, do amarelo...
pois eu quero definitivamente reservar para nós o arco-íris.


O QUE me alegra...
é que, numa mesma noite, irreverentes tocaremos a lua,
sentiremos as diferentes estações e seus momentos.
Ora veja-se no espelho das minhas idiossincrasias:
O açoite da tempestade cessou para nunca mais voltar!
Quero deixar pra você minha linda, minha branca:
todos os dias: os feriados, natal, carnaval, semana santa.


O QUE me alegra...
é sentir como são tantas ainda nossas oportunidades,
para imensa loucura, magia, alquimia, a quimera santa...
Seremos uma só parte, um só desejo, um só querer.
Veremos a cumplicidade do roubo de uma simples flor
ou das conchas rosipérolas colhidas na beira da praia.
Ouviremos os mesmos sons... notas uníssonas,
nossos sons  que só criam harmônicas melodias.


O QUE me alegra...
é suportar as mesmas chuvas, as mesmas luzes estelares.
No deserto, alegres ou tristes, sob qualquer tempo,
iremos atrás daquele abrigo comum e necessário.
Quimeras ao vento, desbravaremos todos os mares!


O QUE me alegra...
exulta em mim, por fim,
é saber que neste cenário somos uma só alma;
eu e você, inteiros, quixotes, semeando sonhos:
sonhos ancestrais, virtuais, coloridos de carmim...


O QUE me alegra...
é que mesmo em terras distantes, nos revelamos
como certeza: no tabuleiro, peças do mesmo jogo!
Tu -bebendo de nossas águas,
sentindo o gosto do sal...
Eu -saneando todo mal
e experimentando o nosso fogo!


Autor: Expedito Gonçalves Dias (Profex)   
Escrito em Varginha, 20-12-2010 às 23:55 h
Este poema também foi postado no Infinito Particular da Malu: 
http://www.tudoepossível-infinitoparticular.blogspot.com
   
...COMENTE E FIQUE ATENTO À PROMOÇÂO DO BLOG DO PROFEX: SORTEIO DE 2 CDS "QUANDO FALA O AMOR" , AUTOGRAFADOS POR RAFAEL BRAGA PARA TRÊS COMENTARISTAS DAS POSTAGENS FEITAS ATÉ 10/03/2011. SERÃO, PORTANTO, 6 CDs. O SORTEIO SERÁ FEITO NESSA DATA PELO PRÓPRIO CANTOR E OS PRÊMIOS SERÃO ENVIADOS PARA SUA CIDADE. PORTANTO, CASO SEJA VOCÊ O SORTEADO, ENTRE EM CONTATO COM O BLOG DO PROFEX PARA PASSAR SEU ENDEREÇO. GRANDE ABRAÇO!                                              

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Meus Poemas - Inspecionando o dia

Minha rima desanda sempre que meus versos te apontam,
minha métrica é rasa e o tempero das palavras é insosso.
Seu paladar é da lua, blue, pink, sofisticado; e você, elétrica.
Além disso meu teor é magro, puro osso apanhado na rua.
Fico no entanto feliz como se fosse, pois fiz a lição de casa...
Minhas idéias não te ligam nem são pontes pros seus sonhos.

Eia, pois, não sou o seu poeta: nenhum futuro pra nós dois!
Só medonhos pesadelos é o que vejo ou mesmo ouso imaginar.
Quero estancar minha verve, mas derramo-me pelos poros;
e, por um instante, as veias inchadas denunciam meus desejos.
Abro minhas trancas e vou até a varanda inspecionar o dia.
Separo o joio, levanto a fronte e recolho o que ainda me serve.

Fico feliz assim como se fosse, pus a barba de molho, a lição foi complicada...
Não sou mais seu herói, não me conte! - quem apanha sempre aprende!
O que me dói, onde dói, se me dói, ou se estanca... - sou eu agora que escolho!
No horizonte vejo anjos e um coro insinuante de uma sinfonia doce e branca...
Uma luz se acende, vou até o jardim, já não faz tanto escuro na alma.
Tudo se acalma: se eu tanto procuro, tem alguém esperando por mim!


Autor: Expedito Gonçalves Dias (Profex) - escrito em Varginha, 23/02/2011-16:13 h
(fonte da imagem: Google: fabriciomuniz13.blogspot.com) 
Popular a partir de 23/02/2011


   
...COMENTE E FIQUE ATENTO À PROMOÇÂO DO BLOG DO PROFEX: SORTEIO DE 2 CDS "QUANDO FALA O AMOR" , AUTOGRAFADOS POR RAFAEL BRAGA PARA TRÊS COMENTARISTAS DAS POSTAGENS FEITAS ATÉ 10/03/2011. SERÃO, PORTANTO, 6 CDs. O SORTEIO SERÁ FEITO NESSA DATA PELO PRÓPRIO CANTOR E OS PRÊMIOS SERÃO ENVIADOS PARA SUA CIDADE. PORTANTO, CASO SEJA VOCÊ O SORTEADO, ENTRE EM CONTATO COM O BLOG DO PROFEX PARA PASSAR SEU ENDEREÇO. GRANDE ABRAÇO!                                             

Em tempo:
Agradeço o carinho de Nádia Lis, do blog Lilith, Sonho...Mistério e Magia para o qual peço sua atenção. Deixo este selo dela pra você e todos que vierem me visitar...
Grande Abraço, Luz e Paz!
-Profex 

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Mande a Sua! - Meia dúzia de histórias cheias de moral...

LEU? GOSTOU? COMPARTILHE! 
A postagem de hoje tem colaboração portuguesa, pois não?! 
 Agradeço a colaboração da blogueira e amiga Manuela Freitas...
(manuelafreitas560@gmail.com) do blog Light
(Do que recebemos por e-mail, temos coisas fantásticas!... E este espaço é dos amigos leitores. Envie sua matéria também!)
Manu, aqui a sua postagem!


1-ASNO
No Curso de Medicina, o professor se dirige a um aluno e pergunta:
-Quantos rins nós temos?
-Quatro!
-Quatro?... - replica o professor arrogante, daqueles que sentem prazer em tripudiar sobre os erros dos alunos.
-Traga um feixe de capim! Temos um asno na sala!-ordena o professor a seu auxiliar.-E pra mim um cafezinho! - replicou de lá o aluno para o auxiliar do mestre.O professor ficou irado e expulsou o aluno da sala!
O aluno era Aparício Torelly Aporelly(1895-1971), o "Barão de Itararé".
Ao sair da sala o aluno ainda teve a audácia de corrigir o furioso mestre:
-O senhor me perguntou quantos rins 'nós temos'. 'Nós' temos quatro: dois meus e dois seus. Nós é uma expressão usada para o plural. Tenha um bom apetite e delicie-se com seu capim!
Moral da História: "A VIDA EXIGE MUITO MAIS COMPREENSÃO DO QUE CONHECIMENTO. " (E haja capim!)

2-A ROUPA FAZENDO A DIFERENÇA 
Sem maiores preocupações com o vestir, o médico conversava descontraído com o efermeiro; e o motoristada ambulância quando uma senhora elegante chega e de forma ríspida pergunta:- Vocês sabem onde está o médico do hospital?
Com tranqüilidade o médico respondeu:
- Boa tarde, senhora! Em que posso ser útil?
Ríspida, retorquiu:
- Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou procurando pelo médico?
Mantendo-se calmo, contestou:
- Boa tarde, senhora! O médico sou eu, em que posso ajudá-la ?!?!
- Como?!?! O senhor?!?! Com essa roupa?!?!...
-Ah, Senhora! Desculpe-me! Pensei que a senhora estivesse procurando um médico e não uma vestimenta....
- Oh! Desculpe doutor! Boa tarde! É que... Vestido assim, o senhor nem parece um médico...
-Veja bem as coisas como são...- disse o médico -... As vestes parecem não dizer muitas coisas, pois quando a vi chegando, tão bem vestida, tão elegante, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos e depois daria um simpaticíssimo "boa tarde!"; como se vê, as roupas nem sempre dizem muito... 
Moral da História: "UM DOS MAIS BELOS TRAJES DA ALMA É A EDUCAÇÃO!"

3-BOA RESPOSTA
Um mecânico está desmontando o cabeçote de uma moto, quando ele vê na oficina um cirurgião cardiologista muito conhecido. Ele está olhando o mecânico trabalhar. Então o mecânico pára e pergunta:
- Ei, doutor, posso lhe fazer uma pergunta?
O cirurgião, um tanto surpreso, concorda e vai até a moto na qual o mecânico está trabalhando. O mecânico se levanta e começa:
- Doutor, olhe este motor. Eu abro seu coração, tiro válvulas, conserto-as, ponho-as de volta e fecho novamente, e quando eu termino, ele volta a trabalhar como se fosse novo. Como é então, que eu ganho tão pouco e o senhor tanto, quando nosso trabalho é praticamente o mesmo?
Então o cirurgião dá um sorriso, se inclina e fala bem baixinho para o mecânico:
 - Você já tentou fazer como eu faço, com o motor funcionando?
Moral da História: "QUANDO A GENTE PENSA QUE SABE TODAS AS RESPOSTAS, VEM A VIDA E MUDA TODAS AS PERGUNTAS."

4-MUITA CALMA!
Entra um senhor desesperado na farmácia e grita:
- Rápido, me dê algo para a diarréia! Urgente!
O dono da farmácia, que era novo no negócio, fica muito nervoso e lhe dá o remédio errado: um remédio para nervos. O senhor, com muita pressa, pega o remédio e vai embora.
Horas depois, chega novamente o senhor que estava com diarréia e o farmacêutico lhe diz:
- Mil desculpas senhor. Creio que por engano lhe dei um medicamento para os nervos, ao invés de algum remédio para diarréia. Como o senhor está se sentindo?
O senhor responde:
- Cagado... mas tô tranquilo!
Moral da História: "POR MAIS DESESPERADORA QUE SEJA A SITUAÇÃO, SE ESTIVER CALMO, AS COISAS SERÃO VISTAS DE OUTRA MANEIRA".

5-O PROBLEMA É SÉRIO
O sujeito vai ao psiquiatra
 - Doutor - diz ele - estou com um problema: Toda vez que estou na cama, acho que tem alguém embaixo. Aí eu vou embaixo da cama e acho que tem alguém em cima. Pra baixo, pra cima, pra baixo, pra cima. Estou ficando maluco!
- Deixe-me tratar de você durante dois anos, diz o psiquiatra. Venha três vezes por semana e eu curo este problema.
- E quanto o senhor cobra? - pergunta o paciente.
- R$ 120,00 por sessão - responde o psiquiatra.
- Bem, eu vou pensar - conclui o sujeito.
Passados seis meses, eles se encontram na rua.
- Por que você não me procurou mais? - Pergunta o psiquiatra.
- A 120 paus a consulta, três vezes por semana, durante dois anos, ia ficar caro demais, ai um sujeito num bar me curou por 10 reais.
- Ah é? Como? Pergunta o psiquiatra.
O sujeito responde:
- Por R$ 10,00 ele cortou os pés da cama...
Moral da História: "MUITAS VEZES O PROBLEMA É SÉRIO, MAS A SOLUÇÃO PODE SER MUITO SIMPLES!"

6-AGORA O PROBLEMA É SÉRIO MESMO!

Projeto obriga os eleitos a matricularem seus filhos em escolas públicas. 
 http://www.umaconquistaonline.com.br/wp-content/uploads/Cristov%C3%A3o.png
Uma idéia muito boa do Senador Cristovam Buarque.
Ele apresentou um projeto de lei propondo que todo político eleito (vereador, prefeito, Deputado, etc.) seja obrigado a colocar os filhos na escola pública.

As conseqüências seriam as melhores possíveis.
Quando os políticos se virem obrigados a colocar seus filhos na escola pública, a qualidade do ensino no país irá melhorar. E todos sabem das implicações decorrentes do ensino público que temos no Brasil.


PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 480, DE 2007
Determina a obrigatoriedade de os agentes públicos eleitos matricula
rem seus filhos e demais dependentes em escolas públicas até 2014.

Moral da História: "Pimenta no * dos outros é refresco!"
(Mas o projeto PASSARÁ, se houver pressão da opinião pública)


Não deixe de comentar! Manda ver!! Escolha uma historinha...

EM TEMPO:
Quero agradecer à Ingrid, de São Paulo, do blog PERFUMES E PALAVRAS pelo carinho da homenagem e o selo oferecido a este blog. A Ingrid sempre está por aqui, lendo e comentando. 
Obrigado, de coração! Seu blog é um encanto com poesias inspiradoras. Não deixem de visitar!


Agradeço também à Dione Nora, virginiana, de Porto Alegre, que tem um caso de amor com Roxette. Seu blog A Guria Dourada, sempre intrigante e atual, deve ser leitura obrigatória. Obrigado, Dione, por fazer parte de seus amigos.


Bom fim de semana a todos!


Popular a partir de 18/02/2011

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Meus Poemas - Multipostagem

Textos pra postar... tantos...
E faltava tempo! Hoje sobrou um pouquinho só
e aproveitei...
Mas não vai doer nada...
Se gostar de algum, comente!

O que somos
Somos tudo e nada, multidão e solidão.
Somos às vezes certeza absoluta; 
outras, pura inexatidão.
De quando em  vez somos lágrima sufocada; 
...sorriso escancarado, noutra ocasião.
Se somos corpos desalmados, 
por vezes; em outras vezes, 
os revezes nos transformam em coração!

Autor: Expedito G. Dias - Escrito em Varginha, 10 /Fev/2011 às 23 h


Advento de Nara
Com a inspiração de mil musas, vais fundo:       
usas das palavras, ora duras, ora leves, sempre claras. 
De forma natural extrais o tudo do nada, sem moderação!
Crias mundos de candura e ao final percebes, aliviada, que és, tu própria, 
a milésima filha da Criação... 

Autor: Expedito G. Dias - Escrito em Varginha, 13/02/2011 às 17:18 
(comentário feito no blog da Nara Janusz 
http://pluriactiva.blogspot.com/2011/02/advento.html#comments)


 Um certo filme
Se eu soubesse a razão a manhã seria mais clara.
Ontem estacionei meu carro na sua calçada,
havia uma lua rara
e hoje acordei mais relaxado.

Se eu soubesse a razão, os perigos não seriam tantos.
Os amigos podem mentir, mas a verdade chega, 
para nosso espanto, dia sim, dia não, pela boca de estranhos
...tão certo é chegar e partir!

Recolho a minha ira e me entrego ao perdão.
Se o mundo parece frio, meu agasalho é a certeza que recolho nas asas da mentira.
Hoje, acordei relaxado e, nas asas do coração, viajei na memória...
O passado se foi, é certo; e o futuro é apenas uma miragem...
Tomei o sol num copo dágua depois de rezar por você e eu.

A vida é longa, não se foge disso...
Seus amigos são seu escudo e nosso porto seguro espera por nós.
A vida é longa não se foge disso:
Ontem, no clarão da lua, estacionei meu carro na sua calçada.
Hoje acordei relaxado, mas o perigo continua!

Dou então a partida e sigo viagem, taciturno, pelo  acostamento.
Se eu soubesse a razão, num piscar de olhos tudo estaria completo!
Olho o tempo pela janela do carro:
O céu é o mesmo para mim e para você, tão certo é partir ou chegar...
Acendo um cigarro e faço um pedido à minha estrela.
Ah, se eu soubesse a razão...
Num piscar de olhos, tudo estaria completo!

Autor: Expedito G. Dias - Escrito em Campo Belo, 12 /Fev/ 92 às 13 h

Pausa
Revejo minha mortalha,
olho lá fora e comparo:
Remendo aqui uma falha,
um deslize - reparo, esfrego...

Sigo o fio da navalha.
E se agora estou a esmo,
sem compromisso sério,
é porque sempre me entrego.


Já tive critérios, me lembro!
Sou agora desvarios,
risos, rezas, impropérios,
ditados para além da emoção.
............................
Na curva daquele rio
encontrei em mim mesmo,
na beira de um precipício, 
um refém do coração!...

Autor: Expedito G. Dias - Escrito em Varginha, 16 /Fev/2011 às 23 h
(fonte das imagens - Google: recadao.com; filosofia-esoterica.blogspot.com; blig.ig.com.br; aartedaprolixidade.wordpress.com


Popular a partir de 16/02/2011

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Meus poemas - Amor Clandestino


Amor que viaja escondido,
na bagagem 
espremido,
..............
calado,
descabido,
disfarçado,
antigo,
cativante, 
insano,
delituoso...


Arriscado e atônito,
segue viagem comigo. 
Sem destino,
hesitante,
platônico
medroso...
Amor clandestino!

Autor: Expedito G. Dias (Profex)
Escrito em Varginha, 09-07-2009 23 h
(imagens: chorearir.com; arcadenoe.sapo.pt)
Gostou? Compartilhe! Comente!
Popular a partir de 13/02/2011

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Meus Poemas - 3 Poemas Curtos

Minha pessoa

Mais um dia acordo
bem de manhãzinha...
Às vezes inteiro,
às vezes um terço.
Às vezes apenas eu,
meio inconfesso
cheio de revezes;
às vezes, pessoinha,
pura entrelinha
cheia de reversos...
(profex)


Rabisco 2

.............................
.............................
Corro o risco de afirmar sem receio
que uma simples linha,
um ponto,
um rabisco,
um circundo,
um meneio
ou mesmo um pingo de tinta
...
vai de encontro aos anseios mais profundos de quem pinta.
(profex)


Nós

Tenho atado os nós
todos os nós de nós.
todos eles, sem dó!
Mas em tom musical
bem devarinho...
...........................
Pra depois, afinal,
desatar um a um;
e, quem sabe um dia,
pôr em desalinho
toda hipocrisia!
(profex)


Popular a partir de 07/02/2011



Se gostou do texto, opine, compartilhe!
(Imagens: planetabalao.com; hemanheman.blogspot.com; artistasdeitarare.zip.net)
Um Grande Abraço, pessoa! 

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Mande a Sua! - Questionamentos 2

LEU? GOSTOU? COMPARTILHE!
Nesta série Questionamentos estou postando e-mails recebidos com assuntos interessantes. Este veio da Malu (maluccat@bol.com.br).
Ela curtiu este texto que lhe fora enviado pela amiga Rafaela Guimarães. E resolveu compartilhar conosco. É um desses e-mails que circulam na Net. Mas vejam o conteúdo!
Malu, minha Branca, obrigado pela colaboração...
Aqui a sua postagem!

(Expedito, repasso como recebi da amiga Manuela Guimarães.  MERECE SER LIDO E ANALISADO! - Malu)

Politicamente Correto, quanta bobagem!...
ou
O CRAVO NÃO BRIGOU COM A ROSA
    Chegamos ao limite da insanidade da onda do politicamente correto!  Soube dia desses que as crianças, nas creches e escolas, não cantam mais 'O cravo brigou com a rosa'. A explicação da professora do filho de um camarada foi comovente: a briga entre o cravo - o homem - e a rosa - a mulher - estimula a violência entre os casais. Na nova letra "o cravo encontrou a rosa/ debaixo de uma sacada/o cravo ficou feliz /e a rosa ficou encantada".

    Que diabos é isso? O próximo passo é enquadrar o cravo na Lei Maria da Penha!  Será que esses doidos sabem que 'O cravo brigou com a rosa' faz parte de uma suíte de 16 peças que Villa Lobos criou a partir de temas recolhidos no folclore brasileiro?
    ...é Villa Lobos, cacete!

    Outra música infantil que mudou de letra foi 'Samba Lelê'. Na versão da minha infância o negócio era o seguinte: Samba Lelê tá doente/ Tá com a cabeça quebrada/ Samba Lelê precisava/ É de umas boas palmadas. A palmada na bunda está proibida. Incita a violência contra a menina Lelê. A tia do maternal agora ensina assim: Samba Lelê tá doente/ Com uma febre malvada/  Assim que a febre passar/ A Lelê vai estudar.

    Se eu fosse a Lelê, com uma versão dessas, torcia pra febre não passar nunca! Os amigos sabem de quem é  Samba Lelê? Villa Lobos de novo! Podiam até registrar a parceria. Ficaria assim: Samba Lelê, de Heitor Villa Lobos e Tia Nilda do Jardim Escola Criança Feliz...
 Comunico também que não se pode mais 'atirar o pau no gato', já que a música desperta nas crianças o desejo de maltratar os bichinhos! Quem entra na roda dança, nos dias atuais, não pode mais ter 'sete namorados' para se casar com um. Sete namorados é coisa de menina fácil. Ninguém mais é pobre ou rico de 'marré-de-si', para não despertar na garotada o sentido da desigualdade social entre os homens.
   Dia desses alguém (não me lembro exatamente quem se saiu com essa e não procurei a referência no meu babalorixá virtual, Pai Google da Aruanda) foi espinafrado porque disse que ecologia era, nos anos setenta, coisa de viado...
Qual é o problema da frase? Ecologia, de fato,  era vista como coisa de viado. Eu imagino se meu tataravô, com a alma de cangaceiro que possuía, soubesse, em mil novecentos e setenta e poucos, que algum filho estava 'militando na causa da preservação do mico leão dourado, em defesa das bromélias' ou coisa que o valha. Bicha louca!- diria o velho...

    Daqui a pouco só chamaremos o anão - o popular 'pintor de roda-pé' ou 'leão de chácara de baile infantil' - de deficiente vertical . O crioulo - vulgo 'picolé de asfalto' ou 'bola sete' (depende do peso) - só pode ser chamado de afrodescendente. O branquelo - o famoso 'branco azedo' ou 'Omo total' - é um cidadão caucasiano desprovido de pigmentação mais evidente. A mulher feia - aquela que 'nasceu pelo avesso', a 'soldado do quinto batalhão de artilharia pesada', também conhecida como o 'rascunho do mapa do inferno' - é apenas a dona de um padrão divergente dos preceitos estéticos da contemporaneidade. O gordo - outrora conhecido como 'rolha de poço', 'chupeta do Vesúvio', 'Orca, baleia assassina' e 'bujão' - é o cidadão que está fora do peso ideal. O magricela não pode ser chamado de 'morto de fome', 'pau de virar tripa' e 'Olívia Palito'. O careca não é mais o 'aeroporto de mosquito', 'tobogã de piolho' e nem 'pouca telha'...

    Nas aulas sobre o barroco mineiro, não poderei mais citar o Aleijadinho. Direi o seguinte: o escultor Antônio Francisco Lisboa tinha necessidades especiais... Não dá! O politicamente correto também gera a morte do apelido, essa tradição fabulosa do Brasil!

    Falei em velho Bach e me lembrei de outra. A velhice não existe mais. O sujeito cheio de pelancas, doente, acabado, o famoso 'pé na cova',  aquele que 'dobrou o Cabo da Boa Esperança', o 'cliente do seguro funeral', o popular 'tá mais pra lá do que pra cá',  já tem motivos para sorrir na beira da sepultura. A velhice agora é simplesmente a "melhor idade".

    Se Deus quiser morreremos, todos, gozando da mais perfeita saúde. Defuntos? Não. Seremos os 'inquilinos do condomínio Cidade do Pé Junto'...
PS: Recebido da Malu depois da postagem feita
"Expedito, recebi o texto e te enviei para que postasse aí. Não havia referência à fonte do mesmo. Mas depois, pesquisando no Google, encontrei o autor. É Luiz Antonio Simas, que é professor de história e tem este blog: http://hisbrasileiras.blogspot.com.  Acrescente por favor...         
Popular a partir de 06/02/2011
Se gostou do texto, opine, compartilhe!(imagens: revistadeciframe.com; topicos.estadao.com.br)                                                            

Formulário de Contato - Expresse sua opinião. Retornarei!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja as Postagens Populares do blog

Aguardo você por lá!...

Informação Importante

Este blog - O Blog de Poesias do Profex - anexa ou linka textos da internet preocupando-se em dar o devido crédito a eles e sua origem. As imagens, na sua maioria são do banco de dados do Google, conforme indico junto às postagens. Quem se sentir lesado por uma exibição indevida, por favor entre em contato para que eu possa atribuir os respectivos créditos; ou ainda, se for o caso, retirar das páginas a postagem ou imagem em questão.

Espero portanto que se um leitor tiver a pretensão de usar uma matéria (ou parte dela), um poema (ou um excerto dele), faça da mesma forma, dando o devido crédito junto à elas, sob pena de se fazer valer a Lei de Direitos Autorais.


E-mail: professorexpedito.radialista@hotmail.com
Some images used on the BLOG DO PROFEX are taken from the web via Google Images, if by chance you find any here who is registered and of his own, let me know that I will be happy to credit! Thank you!

.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...